Artigo

"The Flash" – 01×01 – Piloto

Já vimos o episódio piloto de "The Flash", do canal The CW, e temos uma review fresquinha!

"The Flash" inspira-se na personagem Flash da DC Comics, o conhecido super-herói. Grant Gustin é o ator protagonista.

Logo no início do episódio vemos Flash a percorrer as ruas da cidade, numa velocidade desenfreada. Apresenta-se como: “Barry Allen, o homem mais rápido vivo”. O tempo recua 14 anos, quando Barry ainda é uma criança, e resume a sua vida a “correr, geralmente, dos bullies”, umas vezes sendo bem-sucedido, outras, nem tanto. A ação salta para o momento em que, já em casa, a mãe tenta perceber o que aconteceu. Barry diz: “parece que não fui rápido o suficiente”, porque tentou defender os colegas que estavam a ser gozados por não serem “fixes”, e a mãe diz-lhe que, na verdade, ele tem um coração de ouro. O pai de Barry entra em casa e consola-o, o que nos faz perceber que os pais o amam profundamente.

À noite, já o menino está deitado, ouvem-se barulhos e a água do aquário, no quarto, eleva-se. Barry desce as escadas até à sala e vai encontrar a mãe no meio de uma tempestade de raios. O pai pede-lhe que fuja e, de repente, a criança vê-se no meio da estrada, já sem qualquer anormalidade atmosférica, chamando pelos pais, que desapareceram.

Assistimos à passagem para o presente, um Barry já jovem adulto e apressado, que avança por entre a multidão, dando a sensação de estar atrasado para algum compromisso.

Houve um assalto a um banco, e um dos guardas foi morto pelo assaltante. Um dos inspetores pergunta: “onde está Allen?” e vemos Barry a continuar a correr por entre as pessoas com quem se cruza. Quando, finalmente, chega ao local do crime, é repreendido pelo seu atraso, e, depois disto, começa a analisar as pistas deixadas. Barry é um investigador forense e a série explora a forma como as pistas são analisadas, mostrando-nos as dimensões das marcas dos pneus deixadas no solo. Deixa-nos perceber melhor o trabalho de análise que é feito.

Vamos para o departamento da polícia onde o jovem trabalha e deparamo-nos com outra personagem, Iris (Candice Patton). Logo me pareceu que Barry teria um “fraquinho” por Iris, e pareceu-me bem. Enquanto fala com esta, Barry revela ser inteligente e ter sede de conhecimento. É, então, revelado que o pai de Iris é colega de trabalho do investigador. Joe permite que Barry vá até ao STAR Lab e Iris acompanha-o. Aí, o rapaz aborda o assunto “relacionamentos”, tentando dar-lhe a entender que gosta dela, mas Iris percebe tudo ao contrário, e Barry fica desiludido.

Juntos, assistem à comunicação de Harison Wells, um cientista que vai discursar sobre física e o projeto da sua equipa. O discurso é interrompido para Iris e Barry, pois uma das pessoas da assistência rouba o computador da jovem. Allen persegue o ladrão, e quando quase o apanha, é agredido por ele. Pouco depois, o rapaz é detido por um polícia que foi, recentemente, transferido.

Ora, se bem se lembram, depois daquela tempestade de raios, ficámos sem saber o que aconteceu à família Allen, certo? Quando Barry regressa ao departamento, já sozinho, vemos um placard cheio de recortes e apontamentos sobre o caso dos seus pais, e um dos recortes pertence a uma manchete de jornal, que diz que o Doutor Allen foi acusado de assassinar a esposa.

A ação muda, outra vez, para nos deixar em suspense, e vemos os inspetores a tentar apanhar o assaltante do banco, que, após um tiroteio, foge numa avioneta, atingindo um deles. Voltando a Barry, vemos, através do vidro da sala, que há uma explosão gigantesca em STAR Lab, explosão, essa, que destrói a avioneta. Além disso, afeta, também, a sala onde ele se encontra, partindo vidros, e destruindo parte dos objetos. Vemos que algo está dentro do corpo de Barry, mas não sabemos bem o quê. Este é levado para o hospital. Aparece, então, o título da série: "The Flash".

A história avança nove meses e vemos o STAR Lab vedado. De repente, vemos duas pessoas (que até agora ainda não tinham aparecido), Caitlin Snow (Danielle Panabaker) e Cisco Ramon (Carlos Valdes), debruçadas sobre alguém. Esse alguém é Barry, que acorda de um estado comatoso. Naturalmente, não sabe onde está, e começa a tentar tirar os tubos a que está ligado. Os dois apresentam-se, e explicam a Barry que foi atingido por um raio. Fica surpreendido com os efeitos físicos que o raio teve nele, pois agora tem abdominais (esta parte tem a sua graça).

Harison conta ao recém-acordado o que aconteceu com a explosão, e a primeira coisa que Barry quer fazer é ir ter com Iris. Mas não sem antes perguntar se pode ficar com a sweat-shirt da STAR (outra parte engraçada). O reencontro entre os dois é carregado de emoção, pois Iris fica felicíssima ao ver o melhor amigo.

Algo não está bem com Barry, pois, quando uma empregada do café onde Iris trabalha esbarra com outra pessoa, o tempo desenrola-se em “slow-motion” aos olhos dele, até que a bandeja que a rapariga carrega, cai no chão. O jovem fica perplexo com o sucedido e o cenário muda. Estamos num banco e um homem, Clyde Mardon (Chad Rook) estende um papel à funcionária, que diz: “isto é um assalto”. Então, eleva-se no ar, e o início de um tornado emerge das suas mãos, ao mesmo tempo que, o tecto, em vitral, se estilhaça. Mas não é logo revelado o desfecho desta cena, pois vemos Barry no departamento da polícia, a reencontrar os colegas. Neste momento, um homem está a ser detido, e, aproveitando a distracção de um dos polícias, deita a mão à arma deste, mas Flash vê-o e impede um acidente. É tão rápido que ninguém se apercebe do que aconteceu. Fica perturbado com as suas capacidades e sai do departamento, e é aí que nos apercebemos do que é que agora ele consegue fazer.

Vemos uma caravana, onde estão Harison, Caitlin e Cisco. Barry está equipado com um capacete, um fato vermelho, uns óculos e umas joelheiras e cotoveleiras, e vai ser submetido a testes. A sua velocidade é incrível!

Enquanto corre, recorda-se da noite em que a mãe faleceu, o que o distrai e faz embater em bilhas de água, magoando-se. Já em STAR, conta aos cientistas o que aconteceu à mãe. Ao mesmo tempo, no departamento, os detectives tomam conhecimento do assalto ao banco.

Entretanto, ficamos a saber que Iris namora com o detective que tinha sido transferido, Eddie Thawne (Rick Cosnett), em segredo. Mas Barry vê-os beijarem-se e Iris explica-se ao amigo. Neste preciso momento, um carro da polícia despista-se na perseguição ao assaltante do banco, e quase atropela os dois, não fosse Barry conseguir puxá-la para trás. Emerge Flash, que corre no encalço do carro. Consegue entrar no carro, que capota, mas os dois saem ilesos. O outro faz levantar uma nuvem de fumo intenso, escapando.

O pai de Iris está no local em que o confronto se deu, e Barry conta-lhe quem é o homem, e que este não morreu na avioneta, além de que tem poderes. Joe não acredita nas palavras do rapaz e discute com ele. Revoltado, Barry vai até STAR e questiona Harison sobre o que aconteceu. Este diz-lhe que a verdade é que não sabem quem poderá ter sido afectado pela explosão. A conversa termina com Harison a dizer-lhe: “não és um herói, és apenas um jovem que foi atingido por um raio”. Isto despoleta um flashback de Barry em criança, voltando à noite em que a mãe faleceu e o pai foi preso, vendo-a morta. Aqui, diz: “Esta é a minha história. Passei a minha vida à procura do impossível, não pensando que me tornaria no impossível”. E neste momento, uma nova personagem está em cena, Arrow (Stephen Amell), que encoraja Flash, porque o raio tê-lo-á escolhido, para salvar pessoas, ser um um anjo-da-guarda. Nunca vi Arrow, e não estava à espera que fossem cruzar séries/personagens, mas acho que resultou bem.

Barry voltou a STAR e já tem o seu fato pronto. Enquanto isto acontece, a polícia encontra Clyde, que com os seus poderes, faz nascer um tornado. Flash vai até ao encontro do “mau-tempo” e Caitlin, Cisco e Harison ajudam-no à distância. Correndo à volta de Clyde, Flash consegue desfazer o tornado. Clyde aponta-lhe uma arma, mas Joe mata-o, salvando o amigo da filha. Mais tarde, Joe desculpa-se a Barry.

Mais tarde, Barry vai visitar o pai à prisão e mostra-lhe que não acredita no que os jornais dizem. O pai pede-lhe que siga em frente, e o filho diz-lhe que é o que tem feito, que tem muito orgulho dele e que o ama.

Voltamos ao início, a ver Flash a percorrer as ruas da cidade a alta velocidade e a apresentar-se. E a cena final é a de Harison a levantar-se da cadeira-de-rodas, vendo uma projecção de um jornal do futuro, de 2024. O que será que Harison está a planear?

Peço desculpa pela dimensão da review, que receio ter ficado um pouco extensa, mas achei importante detalhá-la, dado que parece ser uma série bastante aguardada pelos fãs e devido a já ter saído na internet, 4 meses antes do que seria suposto. Espero que tenham gostado e que gostem do episódio, também!

Nota: 8/10

Beatriz Barroca

Artigo do parceiro

Comentários