Artigo

"The Walking Dead" – 05×08 – Coda

Contém SPOILERS!

O episódio começa com o Rick a perseguir o polícia que atacou a Sasha no último episódio, quando este se recusa a parar, o Rick acelera, atropela-o e após uma breve troca de palavras, dá-lhe um tiro na cabeça e “mastiga” as palavras “Shut up!”. Isto revela a pouca paciência que o Rick tem actualmente e o facto de não ter tempo a perder com um potencial inimigo, respondendo com violência. Este é o Rick que eu gosto, sem os dilemas morais do passado! Claro que no nosso mundo de normalidade isso seria visto como algo muito mau e perturbador, mas num apocalipse zombie acho aceitável este nível de crueldade. É necessário ser implacável para sobreviver, e o Rick aprendeu isso da pior maneira.

Mas o ponto central de “Coda” é o salvamento da Beth. O Glenn, o Abraham e a Maggie aparecem na Igreja no instante em que a Michonne, o Carl e o Padre Gabriel escapam da invasão de Walkers. Informam a Maggie que a Beth está viva e que o resto do grupo foi salva-la e de repente…., a Maggie lembra-se que tem uma irmã.

Este é um ponto sensível para mim…, a Maggie não referiu o desaparecimento da irmã uma única vez desde o iníco desta temporada (ou mesmo na última temporada desde o ataque à prisão) e aqui acho que houve falha por parte dos argumentistas da série. Quando a Maggie fica euforica de alegria por saber que a irmã está viva e no final desvastada pela morte desta, não teve o impacto que poderia ter tido, se ela tivesse procurado saber da Beth desde que se separaram, assim, soa a falso e é forçado.

Quanto ao resto do episódio, foi bom, teve um desfecho chocante e houve bons momentos de tensão, como por exemplo quando o Rick se encontra com os outros policias ficando o resto do seu grupo a dar apoio como snippers, a troca de prisioneiros no hospital e a luta entre Dawn e o “mau” policia. Mas o ponto alto que foi a morte de Beth, pareceu-me um bocado desprovido de sentido, porque ela não morreu como consequência de algo terrível, ela morreu sim, por ter feito uma má escolha.

A Beth nunca foi uma das minhas personagens favoritas e estou de acordo com a decisão de matarem esta personagem. Apesar de ela se ter tornado mais forte continuava a mesma jovem inocente, sempre a tentar ver o lado bom das coisas e das pessoas, e não havia lugar num apocalipse zombie para alguém como ela, a Beth estava simplesmente desenquadrada em todo aquele cenário de violência, brutalidade e morte.

Em termos emocionais foi forte! A reacção do Daryl, a expressão do Rick, aquele momento em que parece que naquele corredor vai haver uma erupção de tiros, sangue e mortos, tudo isto foi excelente! Gostei que todos tivessem mantido a cabeça fria e que o Rick ainda tenha dito que quem quissesse podia juntar-se a eles.

Sem dissecar muito e deixando de parte as análises, a morte da Beth foi uma cena terrivel e impressionante. E o timing deles a saírem do hospital ao mesmo tempo que chegava a Maggie e o resto do grupo foi muito bom! O Daryl com a Beth nos braços…, brutal!

Não foi o mid-season finale mais impressionante desde o inicio da série, pois para mim ainda nada superou a cena da Sophia a sair do celeiro na 2ª temporada e a morte do Hershel na 4ª temporada.

Houve algumas pontas que ficaram soltas, como por exemplo, porque é que a Dawn fazia tanta questão em querer ficar como o Noah no hospital? E se a maioria dos policias eram ”bons” e não concordavam com a sua linha de chefia porque é que nunca ninguém lhe fez frente? E convenhamos que como vilões desta série, depois de termos tido o Governador e os canibais de Terminus, este grupo do hospital foi um bocado fraquinho.

E “Coda” foi isto! Agora é esperar para ver o que aí vêm! Com o grupo todo junto de novo na estrada, deixando para trás Atlanta, o hospital e as esperanças de uma cura em Washington D.C.

NOTA:8.5/10

Alexandra Leite

Artigo do parceiro

Comentários