Caos Calmo

Caos calmo

Caos Calmo

Caos calmo

Frequentemente, Pietro é acometido de uma estranha mistura de caos e calma. Desde a morte da sua mulher que não tem paz...

Frequentemente, Pietro é acometido de uma estranha mistura de caos e calma. Desde a morte da sua mulher que não tem paz. Lara morreu, inesperadamente, num dia de Verão. Pietro não estava em casa, na altura. Estava na costa, a salvar a vida de uma outra mulher, uma desconhecida. A sua filha, Claudia, estuda no 5º ano. Um dia, quando está a levar a filha à escola, Pietro decide esperar por ela no carro. E continua a fazer o mesmo nos dias que se seguem. É como se estivesse a refugiar-se no carro, ali sentado, à espera da dor da solidão. Escondido no seu automóvel, começa a observar o ambiente e descobre os refúgios dos outros. Os seus patrões, colegas e familiares aparecem para reconfortá-lo. Mas a única coisa que conseguem fazer é falar-lhe da sua própria dor sem limites e fugirem da sua incompreensível calma. No entanto, Pietro começa lentamente a recuperar.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa , as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.