Artigo

Brad Pitt faz acordo revolucionário com Netflix

A estrela vai protagonizar «War Machine», que será lançado pelo serviço de vídeos por «streaming». O acordo pode ter o mesmo impacto no cinema que «House of Cards» teve na televisão.

O próximo filme de Brad Pitt, «War Machine», será lançado em 2016 exclusivamente no Netflix e em salas de cinema selecionadas, anunciou na segunda-feira o serviço de vídeos por «streaming».

Este é o mais recente acordo fechado pelo Netflix para difundir diretamente no seu serviço «online» produções originais para o cinema, que normalmente estreariam e seriam difundidas nos primeiros meses exclusivamente em salas de cinema.

Apesar de existir um acordo de 2014 para Adam Sandler produzir e ser o protagonista de quatro filmes e ter adquirido os direitos de distribuição de «Beasts Of No Nation», o novo filme de Cary Fukunaga («True Detective») com Idris Elba, este é a primeira vez que o Netflix se associa ao financiamento e distribuição de um projeto concreto com uma das maiores estrelas de cinema a nível internacional, em parceria com a produtora cujos filmes mais recentes incluem o oscarizado «12 Anos Escravo» e o nomeado «Selma».

Para a empresa, este é um acordo revolucionário que pode ter o mesmo impacto no cinema que a associação com David Fincher e Kevin Spacey para «House of Cards» teve na televisão, onde abriu portas para conteúdos originais de qualidade e premiados produzidos originalmente para exibição «online».

«Estamos muito emocionados em ser parte deste compromisso inspirador do Netflix para produzir conteúdo de vanguarda e exibi-lo a uma audiência mundial», disse Pitt, citado no comunicado da empresa.

O filme, descrito como uma sátira provocadora, conta a história de um general de alto comando, um verdadeiro «astro do rock» do Exército, cuja fama letal e trajetória irrepreensível o catapultaram como comandante da guerra no Afeganistão.

«Estou honrado por fazer este filme ambicioso e audacioso sobre a extensa, complexa, difícil e louca máquina de guerra moderna e das muitas vidas que afeta», disse o realizador e argumentista, David Michod.

O filme, que começa a ser filmado em agosto, baseia-se no «best-seller» de Michael Hastings «The Operators: The Wild and Terrifying Inside Story of America's War in Afghanistan» [«Os Operadores: a Selvagem e Terrível História Interna da Guerra Americana no Afeganistão», em tradução literal].

Hasting foi o jornalista da revista Rolling Stone que provocou a queda, em 2010, do comandante americano no Afeganistão, o general Stanley McChrystal.

O escritor morreu num acidente de carro em junho de 2013, em Los Angeles, aos 33 anos, em circunstâncias que ainda não foram esclarecidas.

O diretor de conteúdos do Netflix, Ted Sarandos, afirmou, ainda, que «Brad e David são uma equipa perfeita para fazer um filme oportuno, convincente e divertido».

«War Machine» é a história «animada e de bastidores sobre os decisores da guerra», acrescentou.

Comentários