Artigo

História dos Óscares: Lembra-se de todos os vencedores do Óscar de Melhor Filme?

É o troféu mais desejado da história da Sétima Arte, aquele que só por si garante um lugar na memória coletiva do cinema. Com todas as atenções viradas para Hollywood, recordamos os 88 vencedores do Óscar de Melhor Filme.

Os vencedores do Óscar para Melhor Filme reúnem algumas das películas que se tornaram emblemáticas na história da Sétima Arte, como «E Tudo o Vento Levou»«Casablanca» ou «Música no Coração», mas também obras inesperadas que o galardão ajudou a colocar na imaginário coletivo, como «O Cowboy da Meia-Noite» e «O Silêncio dos Inocentes».

Em termos mais práticos e imediatos, estima-se que um vencedor nesta categoria, se não tiver já uma carreira de grande sucesso atrás de si (como no caso dos super-êxitos «Gladiador» ou «Titanic», por exemplo), consiga triplicar as receitas de bilheteira.

A categoria de Melhor Filme é a única em que todos os membros da Academia votam não só na atribuição do prémio final (como sucede em todas as categorias, exceto nos documentários, curtas-metragens e filme estrangeiro) mas também nas próprias nomeações, que nos outros casos são da exclusividade dos membros do respetivo ramo profissional na Academia (os argumentistas votam nos nomeados para Melhor Argumento Adaptado e Original, os realizadores votam nos nomeados para Melhor Realizador e por aí fora).

O prémio é atribuído aos produtores e todos os filmes estreados em Los Angeles no respetivo ano podem concorrer, mesmo se não forem falados em inglês, caso que já aconteceu oito vezes: «A Grande Ilusão» (1938), «Z – A Orgia do Poder» (1969), «Os Emigrantes» (1972), «Lágrimas e Suspiros» (1973), «O Carteiro de Pablo Neruda»(1995), «A Vida é Bela» (1998), «O Tigre e o Dragão» (2000), «Cartas de Iwo Jima» (2007) e «Amor» (2013), isto para além de «O Artista», que venceu em 2012, e era um filme francês embora os diálogos - em intertítulos - fossem todos em inglês.

Também é possível a animação chegar ao top da Academia, embora isso só tenha sucedido três vezes, em 1992, com «A Bela e o Monstro», em 2010, com «Up - Altamente!» e em 2011 com «Toy Story 3».

Foi só em 1944 que as nomeações estabilizaram nas cinco por ano, com os anos anteriores a contabilizarem mais do dobro das designações, com o recorde de 12 películas nomeadas para Melhor Filme em 1934 e 1935. Só em 2010 é que as nomeações subiram de cinco para até 10 na categoria de Melhor Filme.

Os Óscares começaram a ser atribuídos na transição do cinema mudo para o sonoro, e por isso, oficialmente, só houve um filme mudo a vencer na categoria principal: Asas, de William Wellman, no primeiro ano em que foram atribuídos prémios, em 1928. Oficialmente, porque, na verdade, nessa primeira edição, o prémio estava dividido em Melhor Produção (cujo vencedor foi Asas) e Produção de Maior Qualidade Artística (cujo vencedor foi «Aurora», de F.W.Murnau). Além disso, em 2012, O Artista, um filme sem diálogos mas com banda sonora síncrona e alguns efeitos sonoros, que homenageava precisamente o cinema mudo, também conseguiu conquistar o troféu principal.

No ano seguinte, o galardão unificou-se, passando a centrar-se genericamente na Melhor Produção e considerando a Academia que, nessa cerimónia inicial, Asas ganhou o equivalente a esse troféu.

A alteração propriamente dita para Melhor Filme deu-se logo em 1931.

Recorde na galeria de fotos os vencedores do Óscar de Melhor Filme

 

Comentários