Artigo

Netflix adia especial sobre Bill Cosby após acusações de violação

O Netflix anunciou o adiamento de um programa especial dedicado aos 77 anos do ator Bill Cosby, acusado recentemente de abuso sexual e violação.

Segundo a revista People, no especial o comediante contaria piadas sobre a sua infância, os seus primeiros amores e o seu papel de pai.

Cosby foi notícia no sábado passado, quando balançou a cabeça, em silêncio, ao ser indagado sobre se gostaria de comentar as acusações de violação e abuso sexual apresentadas contra ele nas últimas semanas durante uma entrevista à National Public Radio.

Num comunicado publicado no site do comediante na internet, o advogado John P. Schmitt anunciou, no dia seguinte, que Cosby não faria comentários sobre a onda de acusações feitas contra ele.

"Ao longo das últimas semanas, afirmações duvidosas contra o senhor Cosby voltaram à tona", destacou o advogado.

Famoso por interpretar o patriarca de uma família de classe média afro-americana na sitcom "The Cosby Show", exibida na NBC entre 1984 e 1992, Cosby tem sido alvo de maior atenção recente desde que o comediante Hannibal Buress o chamou de "violador" durante um espetáculo de stand-up no mês passado na Filadélfia.

Uma aparição prevista de Cosby no programa "Late Show with David Letterman" foi entretanto cancelada e o artista viu-se confrontado com uma série de acusações.

Na semana passada, o jornal The Washington Post publicou um relato detalhado da atriz Barbara Bowman sobre os supostos abusos que ela teria sofrido nas mãos de Cosby em 1985, quando ainda era uma adolescente.

Bowman insistiu que nunca pediu ou recebeu dinheiro de Cosby. Ela tinha-se oferecido para testemunhar numa ação civil iniciada por uma mulher, que acusou Cosby de atacá-la sexualmente, e que acabou por ser negociada em 2006.

Segundo notícias publicadas nos Estados Unidos, 13 mulheres que fizeram acusações similares contra o comediante também se teriam oferecido para testemunhar no caso.

@AFP

Comentários