Artigo

Disney vence: "A Bela e o Monstro" vai estrear na Malásia sem cortes

O estúdio recusou fazer cortes por causa do "momento exclusivamente gay" e a decisão do Comité de Censura da Malásia foi anulada por outro organismo.

"A Bela e o Monstro" vai ter um final feliz também na Malásia.

Dois complexos de salas de cinema, incluindo a Golden Screen Cinmas, a maior do país, confirmaram nas redes sociais que o filme da Disney baseado no clássico da animação vai estrear a 30 de março sem cortes e com classificação para maiores de 13 anos.

A decisão foi tomada por uma comissão de apelos de cinema, entidade independente do Comité de Censura da Malásia e que tem o poder de alterar as suas deliberações.

A 13 de março, três dias antes, a estreia fora adiada porque o Comité queria mais de quatro minutos de cortes em redor do "momento exclusivamente gay" envolvendo os sentimentos de LeFou (interpretado por Josh Gad) por Gaston (Luke Evans).

"A Malásia não reconhece a ideologia LGBT, portanto tenho de ser ainda mais cuidadosos com o nosso trabalho. Temos as nossas responsabilidades perante o país, o povo e a nossa Constituição", explicou há poucos dias o líder do Comité.

"Se deixarmos passar estas cenas, as pessoas irão perguntar se a Malásia reconhece LGBT", acrescentou, numa alusão ao facto da homossexualidade ser ilegal naquele país asiático.

Apesar da controvérsia em redor do tema, "A Bela e o Monstro" é um gigantesco sucesso comercial a nível mundial.

Comentários