Bruno Nogueira e Manuela Azevedo levam Deixem o Pimba em Paz ao Campo Pequeno, em Lisboa, no início da próxima semana, anunciou Everything is New. O espetáculo contará ainda com as participações especiais de Salvador Sobral e Samuel Úria.

Na manhã desta quinta-feira, a promotora divulgou que os bilhetes para o espectáculo do dia 1 de junho foram todos vendidos em apenas 11 minutos. Em comunicado, a promotora avançou uma data extra - a dupla volta a subir ao palco do Campo Pequeno na terça-feira, dia 2 de junho.

"O grande regresso aos palcos com Bruno Nogueira e Manuela Azevedo, Deixem o Pimba em Paz, esgotou em 11 minutos. Ansiosos para no próximo dia 1 de junho, reaprendermos a rir, dançar e cantar todos juntos, numa noite que ficará na memória de todos", escreveu a Everything is New nas redes sociais.

O regresso aos palcos decorre a partir das 21h30, com abertura de portas às 20h00. O uso de máscara será obrigatório, avisa a promotora.

"As festas populares foram canceladas e este ano não há Santos, mas Junho não é Junho sem música pimba. Mais de dois meses e meio em isolamento merecem um regresso em grande para que possamos dançar, rir e festejar. Venham daí e celebremos juntos e ao vivo", assinala ainda a Everything is New em comunicado.

O projeto de Bruno Nogueira e de Manuela Azevedo, dos Clã, propõe-se a "dar outra vida" às canções de Quim Barreiros, Ágata, Marante ou Marco Paulo, entre outros nomes associados à música designada como pimba. Filipe Melo, Nuno Rafael e Nelson Cascais também fazem parte de Deixem o Pimba em Paz.

No espetáculo, o humorista e os músicos "fizeram arranjos de jazz e pop onde eles eram pouco prováveis". "Na Minha Cama Com Ela", "Comunhão de Bens", "Porque Não Tem Talo o Nabo", "Garagem da Vizinha", "24 Rosas", "Não És Homem para Mim" e "Cabritinha" são alguns dos temas que têm feito parte do alinhamento.

No final de abril, "Deixem o Pimba em Paz" também chegou aos serviços de streaming de música com o disco homónimo.

O espetáculo é uma parceria entre a Everything is New, a Força de Produção, o Campo Pequeno e a Audiomatrix.

“Não é por acaso que numa festa na Quinta do Lago, aos primeiros acordes de uma música do Quim Barreiros, haverá uma debandada de berloques a correr para a pista de dança e a cantar o refrão em alegre e alta voz. O mesmo irá acontecer se, no meio de um churrasco em Massamá, alguém arriscar a mesma música. Os berloques serão porventura menos, mas a alegre e alta voz que canta o refrão terá a mesma força”, pode ler-se no comunicado de apresentação do espetáculo.

Bruno Nogueira adianta na nota haver “ainda outra coisa que estreita o eixo Quinta do Lago-Massamá: nenhum dos habitantes destas regiões sociais sabe muito mais do que o refrão”, sublinhando ser “uma pena, porque o melhor raramente vem no refrão”.

“Ainda assim há poucos assuntos que liguem tão intimamente pessoas com gostos tão distintos. A mim sempre me fascinou o universo pimba. Por inteiro, com as suas letras, músicas, roupas, coreografias, etc., continua Bruno Nogueira.

Sobre o espetáculo acrescenta que se propõe a dar “outra vida a essas canções, juntando músicos que fizeram arranjos de jazz e pop onde eles eram pouco prováveis”, com a ajuda de Manuela Azevedo.

No reportório encontram-se músicas de Quim Barreiros, Ágata, Marante e Marco Paulo, entre outros.

"Deixem o Pimba em Paz" é uma ideia original e tem direção de Bruno Nogueira, contando com direção musical de Filipe Melo e produção de Nuno Rafael (Força de Produção).

Além de Bruno Nogueira e Manuela Azevedo vão estar em palco Filipe Melo, Nuno Rafael e Nelson Cascais, e como convidados Salvador Sobral e Samuel Úria.

O espetáculo foi estreado em setembro de 2013, no Teatro São Luiz, em Lisboa, pelo humorista e a cantora dos Clã.

"Queria explorar o potencial da música pimba para lá do que as pessoas conhecem", disse então Bruno Nogueira, à agência Lusa.

"Incomoda-me essa coisa de rotular a música. O pimba é uma música unificadora, mais popular, passa em festas e bailes, mas não é tudo brega; também abrange histórias que podiam passar-se com qualquer um", sustentou então o humorista, sublinhando que "a maior parte das pessoas que criticam a música pimba são as primeiras a ir dançar".

O termo "pimba", que tem uma conotação pejorativa para determinadas canções da música portuguesa, tem sido utilizado sobretudo desde os anos 1990, quando o cantor Emanuel revelou a canção "Pimba, Pimba", em 1995.

Desde então, "Deixem o Pimba em Paz" percorreu o país, foi editado em disco, alargou universo de canções e convidados, chegou a palcos das comunidades portuguesas, como a celebração do Dia de Portugal, em Newark, nos Estados Unidos, em 2017.

Na noite de de Santo António de 2018, animou o primeiro arraial do Capitólio.

* Notícia atualizada às 12h37

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.