Num comunicado divulgado na quarta-feira, a FCG anuncia que “o maestro titular da Orquestra Gulbenkian [Lorenzo Viotti] regressa ao Grande Auditório quatro meses após o cancelamento da Temporada de Música devido à pandemia [da COVID-19]”, nos dias 23 de julho, às 21:00, e 24 de julho, às 19:00.

“O maestro franco-suíço irá dirigir a Primeira e a Quinta Sinfonias de Beethoven, um programa que vai celebrar do melhor modo o seu reencontro com o público da Gulbenkian Música, no ano em que se comemoram os 250 anos do nascimento do compositor alemão”, lê-se no comunicado.

A FCG refere que “a lotação da sala será reduzida para metade, de modo a cumprir as regras de distanciamento estabelecidas pela Direção-Geral da Saúde para todos os recintos culturais fechados”, e recorda que “é obrigatório o uso de máscara”.

No final de maio, ao fim de dois meses parados por causa da pandemia da COVID-19, que ditou o encerramento de salas de espetáculo, os músicos da Orquestra Gulbenkian regressaram aos ensaios, em pequenas formações, para a própria FCG testar protocolos, a pensar na próxima temporada de música.

A atual temporada de música da Gulbenkian ficou em suspenso desde março, à semelhança de toda a atividade cultural no país, por causa da pandemia da COVID-19, e afetou quase duas centenas de instrumentistas e cantores da Orquestra e Coro Gulbenkian.

O regresso dos músicos ao trabalho foi feito em pequenas formações para ensaios e gravações que têm sido transmitidas ao longo das últimas semanas, pela fundação, na sua página na Internet.

Nos ensaios a que a agência Lusa assistiu, no final de maio, duas pequenas formações de câmara preparavam-se para gravar composições de Mendelssohn e Beethoven, com os músicos dispostos em meio círculo e praticamente a ocupar todo o palco do grande auditório, por causa das distâncias de segurança.

De acordo com as regras estabelecidas pelo Governo, para a reabertura das salas de espetáculos a 1 de junho, os músicos devem manter-se afastados “pelo menos dois metros sempre que possível” e, em relação às orquestras, deve ser assegurada uma distância mínima de dois metros entre músicos de sopro e 1,5 metros entre os restantes.

No caso da Fundação Calouste Gulbenkian, todos os trabalhadores, incluindo os músicos, têm de medir temperatura à entrada do edifício, desinfetar as mãos e utilizar obrigatoriamente máscara.

O anúncio da próxima temporada de música da Gulbenkian está previsto para setembro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.