Em comunicado enviado hoje às redações, a Câmara da capital do Alto Minho explicou que a entrega do Prémio Literário decorreu na terça-feira, integrada na programação da feira do livro que decorre na cidade até sábado.

Segundo a autarquia, "a obra vencedora será agora publicada pela Porto Editora, em 2021", e o seu autor recebeu "um prémio pecuniário de seis mil euros atribuído pelo município".

Segundo Mário Silva Carvalho, citado na nota de imprensa, o livro vencedor está "completamente fora do seu terreno e que tem por base um cenário de verdade, com rigor histórico".

Segundo o autor, este será, para os leitores, "um exercício de imaginação, de conhecer a cidade e as pessoas da cidade".

Já o Presidente da Câmara de Viana do Castelo disse ser "muito importante valorizar as pessoas, que são o mais importante de um território, assegurando que Luís Miguel Rocha, que originou este prémio, era uma personalidade pela qual todos tinham muito apreço", e este concurso "perpetua a sua obra".

O concurso literário promovido pela Câmara Municipal, em parceria com a Porto Editora, contou com um júri constituído pelos escritores José Viale Moutinho e Francisco Duarte Mangas e pela diretora editorial da Porto Editora, Cláudia Gomes. A obra vencedora foi escolhida entre os 70 livros a concurso.

Mário Silva Carvalho, nascido em 1948, na freguesia de Pampilhosa, concelho da Mealhada, distrito de Aveiro, é licenciado em História pela Universidade de Coimbra.

Em 2013, ganhou o Prémio Literário João Gaspar Simões, atribuído pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, com o romance "Diário de um Carbonário". No mesmo ano ganhou a 15.ª edição do Concurso Literário Dr. João Isabel com o conto "O regresso de Artur". Em 2016, publicou o romance "O brasileiro de Vizella" e, mais recentemente, lançou o romance "A amazona portuguesa".

O Prémio Literário Luís Miguel Rocha foi criado pela Câmara de Viana do Castelo para perpetuar a obra do escritor que viveu grande parte da vida no concelho.

Luís Miguel Rocha nasceu no Porto, em 1976, mas fixou-se em Viana do Castelo, onde fez os estudos no ensino básico e secundário. Dedicou-se desde cedo em exclusivo à escrita, tendo publicado seis títulos que se encontram traduzidos em mais de 30 países.

Uma das suas obras, "O Último Papa", figurou no top do The New York Times e vendeu meio milhão de exemplares em todo o mundo.

Luís Miguel Rocha morreu em 26 de março de 2015, em Viana do Castelo.

Postumamente, em fevereiro de 2016, foi publicado o seu livro "Curiosidades do Vaticano".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.