Netta foi recebida com uma grande ovação na sala de conferências de imprensa, logo depois de vencer a edição de 2018 do Festival Eurovisão da Canção, que decorreu na noite deste sábado, 12 de maio, na Altice Arena, em Lisboa. A cantora conversou com os jornalistas e com os fãs depois de receber o troféu das mãos de Salvador Sobral.

Sobre o encontro com o músico português em palco, que admitiu que "Toy" era uma canção "horrível", a israelita só tem elogios a fazer. "Respeitou-me quando me deu o microfone. Já tweetei sobre esse assunto e mantenho o que disse: só tenho amor por ele", disse a artista.

No arranque da conferência, Netta falou sobre as casas de apostas, que a colocaram em primeiro lugar durante dois meses - no início da semana, a canção de Israel foi ultrapassada pela do Chipre. "Disse sempre desde início que comparar géneros musicais era engraçado, comparar músicos é algo um pouco peculiar. Quando era favorita sempre frisei isso. Acredito na autenticidade e o meu objetivo era tocar tantas pessoas quanto conseguisse com a minha canção", confessou.

Antes de responder às perguntas dos jornalistas, a artista admitiu estar nervosa. "Desculpem o meu inglês, mas acabei de ganhar a Eurovisão", gracejou.

Veja entrada de Netta na conferência:

"Todos fizeram um espetáculo grande esta noite, incluindo Eleni. Mas alguém tinha de ganhar", disse Netta, confessando estar feliz por vencer algo diferente: "É a melhor coisa que pode acontecer, as pessoas escolherem algo diferente, que é vanguardista. No fundo, escolherem 2018. E estou orgulhosa e honrada por ter participado e por levar este evento mágico até Israel".

 "Antes de mim, ninguém fazia o que faço em horário nobre e se a minha versão mais jovem me visse na televisão, saberia que há uma sempre alternativa", frisou a artista israelita.

Um dos jornalistas de um site LGBTQ questionou ainda Netta sobre o apoio da comunidade. "Respeito-os a todos. Uma grande maioria da minha equipa é parte da comunidade, e eu respeito-os. Não sou nada sem eles. Vou estar na próxima Pride Parade, Love Parede, em Telavive",

Sobre o momento da vitória, a cantora de 25 anos confessou que não viu nada à sua frente, apenas seis homens à sua volta. "Era tudo uma grande mancha negra. Lembro-me de ter seis pessoas ao meu lado a gritar e  só perguntava: o que é que está a acontecer? As pessoas à minha volta percebiam mais da Eurovisão do que eu. Além de que eu uso óculos e não os estava a usar, pelo que não conseguia ver o ecrã das pontuações", gracejou.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.