A oficina, que vai ser dirigida pelo dramaturgo Jorge Louraço Figueira, vai decorrer entre abril e julho, procurando ser também "uma reação artística e criativa a tudo o que está a acontecer", contou a diretora d'O Teatrão, Isabel Craveiro, referindo que o desafio é "escrever a partir deste universo e de se pensar o que é estar dentro de casa".

Para Isabel Craveiro, "a ideia do dentro de casa pode caminhar para muitos sítios", tendo a capacidade de dar "azo a muitas interpretações e metáforas".

A oficina, que terá como tema "O que fazer dentro de casa", vai contar com oito sessões, divididas em duas partes - uma remota e outra presencial -, em que os participantes irão conhecer conceitos básicos de escrita para teatro e desenvolver um texto a partir de um tema e compor uma cena teatral, entre outras questões, refere a companhia, na nota de imprensa divulgada hoje.

Partindo do tema-mãe, as ramificações poderão ser "várias, desde disputa política a desigualdade económica, justiça social ou discriminação cultural", explicou o Teatrão.

Com um máximo de dez participantes, o curso tem uma primeira etapa que decorre entre 22 a 29 de abril, toda ela digital, estando depois prevista uma segunda fase, de 1 a 22 de julho, que será presencial, onde os textos poderão ser lidos e experimentados cenicamente.

"Depende muito do material que for gerado, mas uma das expectativas que temos é a de criar um espetáculo", salientou Isabel Craveiro, considerando que mais importante "do que pôr espetáculos online para lidar com o problema é necessário ter uma ação sobre ele".

As inscrições estão abertas até 17 de abril e o valor de inscrição é de 150 euros, que pode ser pago de forma faseada.

Esclarecimentos sobre o curso podem ser feitas através do contacto telefónico 916265015 ou do e-mail info@oteatrao.com.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.