Se dúvidas existissem, as escolhas dos últimos dias na temporada de prémios confirmam: o "Barbenheimer" não chegou ao fim.

O fenómeno da cultura popular que juntou "Barbie" e "Oppenheimer" e tomou conta dos cinemas no verão consolida-se a caminho da cerimónia dos Óscares a 10 de março com a presença dos títulos de Greta Gerwig e Christopher Nolan na lista dos dez melhores filmes de 2023 anunciada na quinta-feira pela prestigiada organização American Film Institute (AFI).

Entre títulos aclamados pela crítica e com sucesso comercial, dos grandes estúdios ou das plataformas de streaming, a lista eclética e equilibrada deste ano inclui também "American Fiction”, de Cord Jefferson (Amazon, sem estreia anunciada para Portugal; "Assassinos da Lua das Flores", de Martin Scorsese; "Os Excluídos", de Alexander Payne (previsto para 8 de fevereiro); "Homem-Aranha: Através do Aranhaverso", de Joaquim Dos Santos, Kemp Powers e Justin K. Thompson; “Maestro”, de Bradley Cooper (nos cinemas e a Netflix a partir de dia 20); "May December: Segredos de um Escândalo", de Todd Haynes (nos cinemas); “Pobres Criaturas”, de Yorgos Lanthimos (25 de janeiro); e “Vidas Passadas”, de Celine Song (8 de fevereiro).

As escolhas dos júris formados por cineastas, atores, académicos, bolseiros, jornalistas e críticos são um bom indicador na corrida às estatuetas douradas: no ano passado, sete dos dez eleitos foram nomeados para Melhor Filme.

Entre os títulos excluídos pelo AFI que ainda podem alimentar esperanças estão “Ferrari”, de Michael Mann; “Origin”, de Ava DuVernay; "A Cor Púrpura", de Blitz Bazawule; e "Air", de Ben Affleck.

Os filmes "internacionais" não costumam qualificar-se para o AFI, que excecionalmente pode optar por um "prémio especial", mas não o fez este ano para os dois filmes com mais ambições na temporada de prémios: "Anatomia de uma Queda" e A Zona de Interesse”.

Por outro lado, desde que passou a escolher os melhores em 2000, apenas "The Departed" (2006) e "Quem Quer Ser Bilionário" (2008) ganharam o Óscar de Melhor Filme sem estarem de alguma forma nas listas do AFI.

"Succession"

Nas séries de TV, nove das dez escolhas para os melhores de 2023 vieram das plataformas de streaming ou canais por cabo: a única exceção é "Abbott Elementary", da ABC, o único canal tradicional de TV representado.

O canal FX e a HBO Max conseguiram ter dois títulos na lista e sem surpresas: o primeiro faz-se representar por "The Bear" e a despedida de "Reservation Dogs" (FX), enquanto a segunda destaca-se com “The Last of Us” e o adeus de “Succession”.

A Netflix faz-se representar por “Rixa”, a Amazon Freevee por “Jury Duty”, a Apple TV+ por “The Morning Show” (Apple TV+), a Hulu/Disney+ por "Homicídios ao Domicílio” e a Peacock por “Poker Face” (Peacock).

A cerimónia de prémios terá lugar a 12 de janeiro, em plena votação para as nomeações aos Óscares.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.