Um novo estudo reforça que a diversidade de personagens no cinema, seja em sexo, raça ou sexualidade, não tem sofrido melhorias significativas nos últimos 10 anos.

Os investigadores da Universidade do Sul da Califórnia analisaram os 100 filmes mais rentáveis de cada ano entre 2007 e 2014 (excluindo 2011) e apenas 30,3% das 30,885 personagens eram femininas.

E analisando apenas os filmes de 2014, das 4,610 personagens, apenas 19 eram lésbicas, homo ou bissexuais. Nenhuma era transexual.

Entre homens e mulheres existe ainda outra discriminação: em 2014, 26,4% das atrizes mostraram nudez, enquanto isso apenas aconteceu com 9,1% dos atores.

Outro elemento preocupante: no ano passado, nenhuma atriz com mais de 45 anos teve um papel como protagonista ou co-protagonista num dos 100 filmes mais comerciais.

Atrás das câmaras, a falta de diversidade é igual: dos 779 realizadores que fizeram os filmes mais rentáveis desde 2007, apenas 5,8% eram negros e 2,4% asiáticos. Mulheres foram 24.

Ainda assim, o estudo assinala que 2015 pode marcar uma mudança: "Filmes de e sobre mulheres (como "Um Ritmo Perfeito 2", "Spy", "As Cinquenta Sombras de Grey", "Cinderela", "Insurgente") atraíram espectadores em massa. Cinco realizadoras estiveram á frente de filmes que fizeram mais de 25 milhões de dólares na primeira metade de 2014, o que as deve colocar no TOP 100 dos filmes deste ano. Trata-se de mais do que o número de realizadoras nos 100 filmes de 2013 e 2014".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.