"Dor e Glória", um dos filmes mais aclamados nos últimos anos de Pedro Almodóvar, vai representar Espanha na corrida no Óscar de Melhor Filme Internacional (a categoria anteriormente conhecida por Filme Estrangeiro ou Filme em Língua Não Inglesa).

A Academia Espanhola de Cinema anunciou a escolha esta quinta-feira, em detrimento do drama histórico "Mientras Dure la Guerra", de Alejandro Amenábar, e da animação "Buñuel en el laberinto de las tortugas", de Salvador Simó.

LEIA A CRÍTICA "DOR E GLÓRIA".

Espanha já ganhou quatro estatuetas do agora Óscar para Melhor Filme Internacional e teve outros 15 nomeações, mas não entra no grupo finalista desde a vitória de "Mar Adentro" (2004), de Alejandro Amenábar (Portugal é o país recordista nas candidaturas sem ter chegado às nomeações: 35).

Almodóvar tem duas estatuetas, a de Filme Estrangeiro por "Tudo Sobre a Minha Mãe" (1999) e a do Argumento Original de "Fala com Ela" (2002). Não voltou a ser nomeado e a última vez que um filme seu esteve nos Óscares foi em 2006, quando Penélope Cruz entrou na corrida de Melhor Atriz com "Volver".

Com os elogios da crítica e dos espectadores, "Dor e Glória" valeu a Antonio Banderas o prémio de interpretação no último Festival de Cannes e estreou esta semana nos cinemas portugueses. O ator interpreta o próprio Almodóvar e Penélope Cruz a sua mãe.

Espanha, Portugal (que ainda não anunciou a sua escolha) e os outros países que submeterem candidaturas terão de entrar num grupo de nove finalistas, de onde vão sair os cinco nomeados anunciados a 13 de janeiro.

A cerimónia dos Óscares celebra-se a 9 de fevereiro no Dolby Theatre de Los Angeles.

VEJA O TRAILER "DOR E GLÓRIA".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.