Filho de peixe sabe nadar e
Jason Reitman não é excepção à regra: o cineasta é o filho mais velho de
Ivan Reitman, célebre realizador de comédias como
«Os Caça-Fantasmas» ou
«Gémeos». Porém, e apesar de ter crescido em «sets» de cinema, o fascínio de Jason não se focou nos blockbusters de Hollywood mas sim nos filmes independentes que anualmente surgiam a partir do Festival de Sundance, com
Kevin Smith e
Quentin Tarantino como figuras tutelares dessa paixão.

Reitman começou a realizar curtas-metragens em 1998, dirigindo seis filmes antes da sua primeira experiência na longa-metragem,
«Obrigado por Fumar», que estreou em 2005. A sátira à indústria tabaqueira revelou-se um sucesso de público e crítica, lançou o seu estilo de fusão peculiar entre drama e comédia, e atirou-lhe o nome de para a ribalta.

Porém, o verdadeiro sucesso só chegaria em 2007, com o filme sobre gravidez adolescente
«Juno», que valeu o Óscar de Melhor Argumento Original a
Diablo Cody e mereceu nomeações para Melhor Actriz, Melhor Filme e Melhor Realizador, para Reitman.

«Nas Nuvens», a terceira longa-metragem de Reitman, revelou-se um novo sucesso, com o filme a conquistar boa parte dos prémios da temporada e a ser durante algum tempo visto como o principal favorito aos Óscares, até a vitória de
«Avatar» nos Globos de Ouro ter obrigado a uma revisão das previsões.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.