Leonardo DiCaprio é considerado por muitos realizadores como o melhor ator da sua geração, capaz de casar interpretações intensas e sem barreiras com enormes sucessos de bilheteira.

Hoje festeja uma idade muito especial: os 40 anos. Ao mesmo tempo, assinala 25 de uma carreira em que já trabalhou às ordens dos grandes realizadores deste e de qualquer tempo: Martin Scorsese, Steven Spielberg, James Cameron, Quentin Tarantino, Clint Eastwood e Baz Luhrmann.

Em 1992, aos 17 anos, Leonardo DiCaprio foi escolhido pessoalmente por Robert De Niro para contracenar com ele em «A Vida Deste Rapaz». Não era o primeiro filme, mas a lenda regista-o assim: foi uma revelação.

Para trás ficava a participação em anúncios e algumas séries televisivas antes da estreia no cinema aos 17 anos em «Critters 3 - O Regresso». E a seguir ao filme que chamou a atenção da indústria brilhou no papel do jovem deficiente mental e irmão de Johnny Depp em «Gilbert Grape», que lhe valeu a primeira nomeação ao Óscar.

A partir daí, DiCaprio nunca deixou de evoluir, atingindo o pleno estrelato em 1996 com «Romeu + Julieta» e o super-estrelato no ano a seguir com «Titanic», que se tornaria o mais êxito de todos os tempos.

Apenas lhe falta a consagração dos seus pares, mas com cinco nomeações para os Óscares, as últimas das quais este ano pela produção e atuação em «O Lobo de Wall Street», parece apenas uma questão de tempo. Quem sabe, talvez isso aconteça com «The Revenant», um «western» às ordens de Alejandro González Iñárritu, o último projeto antes de uma anunciada pausa na carreira.

25 anos de carreira, 26 filmes, que o SAPO Cinema recorda no seu aniversário.