Nestes oito meses, foram ao cinema 10.624.130 espetadores, o que corresponde a um decréscimo de 6,7 por cento, e a receita bruta de bilheteira rondou os 54,7 milhões de euros, menos 3,3 por cento do que em 2010.

De acordo com os mesmos dados, o filme
«Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2» foi o que registou mais espetadores (487 mil) e o que gerou mais receita bruta de bilheteira (2,9 milhões de euros).

Entre os filmes nacionais estreados em 2011, o documentário
«Complexo - Universo Paralelo», de
Mário Patrocínio, foi o mais visto, com 17.102 espetadores.

De janeiro a agosto, foram exibidos nas salas de cinema em Portugal 477 filmes. Tiveram estreia comercial 186 longas metragens, cerca de metade das quais com origem nos Estados Unidos, o que representa uma quota de mercado de 80,2 por cento (receita bruta).

Entre janeiro e agosto, realizaram-se 450.047 sessões cinematográficas em 159 recintos de cinema nacionais (553 ecrãs).

À semelhança de dados anteriores, o distrito de Lisboa contou com o maior número de sessões (160.316) e o maior número de idas ao cinema (38 por cento), enquanto no distrito de Portalegre registou-se o menor número de sessões (24) e também a menor percentagem de espetadores (0,02 por cento).

Na área da distribuição, a ZON Lusomundo Audiovisuais lidera o setor, com uma quota de mercado de 49 por cento, indicam os mesmos dados.

Os três principais distribuidores nacionais - ZON, Columbia Tristar Warner e Castello Lopes - representaram, até agosto, 91,1 por cento do mercado.

A quase totalidade das receitas brutas de bilheteira em Portugal (92,7 por cento) foi gerada por quatro exibidores: ZON Lusomundo Cinemas, Socorama, UCI e NLC.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.