Nascido a 24 de setembro de 1949, Pedro Almodóvar fez 65 anos de idade e 40 de carreira. É, a par de Luis Buñuel, o realizador espanhol mais reconhecido da história do cinema. A ele devem muito das suas carreiras atores como Antonio Banderas, Penélope Cruz, Carmen Maura, Marisa Paredes, Victoria Abril ou Javier Bardem.

Amado e detestado, ninguém lhe ficou indiferente quando explodiu nos anos 80: os seus filmes contribuíram para arejar um cinema espanhol mergulhado na crise. Entre as corres berrantes dos cenários e o carnaval dos figurinos, a sua carreira tem feito o retrato caricatural da sociedade espanhola e das paixões arrebatadoras, perversas e mesmo criminosas dos seus compatriotas, nos últimos 30 anos.

«Pepi, Luci, Bom e Outras Tipas do Grupo» (1980), rodado aos fins de semana com voluntários e um orçamento ridículo, foi o seu primeiro trabalho, onde já aparecia a musa Carmen Maura, mas o seu primeiro grande filme foi «Que Fiz Eu para Merecer Isto?» (84).

«Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos» (88) é o primeiro sucesso além-fronteiras, mas é também o filme que marca uma rutura com Maura nunca bem explicada. Com «Ata-me!» (89), despede-se também por muitos anos da sua grande descoberta, Antonio Banderas, prestes a dar o salto para Hollywood.

Uma história sobre personagens marginais (quem mais?), madura e trágica, consagra-o definitivamente como o grande autor do cinema espanhol, valendo-lhe o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, anunciado efusivamente por Penélope Cruz na cerimónia com um «Pedroooo!»: «Tudo Sobre a Minha Mãe» (99), dedicado a «Bette Davis, Gena Rowlands, Romy Schneider... a todas as atrizes que interpretaram atrizes, a todas as mulheres que atuam, aos homens que atuam e se convertem em mulheres, e a todas as pessoas que querem ser mães. À Minha mãe».

«Fala com Ela» (2002), aguardado com imensa expectativa após o sucesso do trabalho anterior, foi um sucesso ainda maior, com o qual ganhou um segundo Óscar, pelo argumento original.

Considerado o «realizador das mulheres», reuniu duas das musas mais importantes da sua carreira, Carmen Maura e Penélope Cruz, para um regresso às origens: «Voltar» (2006) é o seu trabalho mais consensual dos últimos anos.

Mais recentemente, deu-se a reunião com Antonio Banderas em «A Pele Onde eu Vivo» (2011), uma das propostas mais arriscadas da sua carreira. «Os Amantes Passageiros» (2013), um regresso mais ligeiro à comédia, foi o seu trabalho mais recente.

Recorde os filmes (mais) essenciais.