Ainda no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Música, o sábado à noite no Porto ficou marcado pela rentrée do Clubbing, o evento que traz a Casa da Música sonoridades mais alternativas e dançantes.

O rock dos Mão Morta abriu as actuações com muitos fãs à espera para verem e ouvirem as canções no novo álbum, Pesadelo em Peluche, mas também os clássicos da banda de Braga.

Num ambiente sorumbático, rodeado de luzes púrpuras e vermelhas, os Mão Morta abriram o concerto com “Tiago Capitão”. À primeira música, em tom de narração, seguiu-se “E se depois”, que contagiou o público.

A banda bracarense conjugou temas do novo disco com canções mais antigas, de “Novelos da Paixão” a “Cão da Morte”. No final do concerto, Adolfo Luxúria Canibal agradeceu a presença dos muitos fãs que lotaram a Sala 2 da Casa da Música.

Seguiram-se os Pop dell´Arte que comemoram, tal como os Mão Morta, 25 anos de carreira em 2010, regressando aos discos originais. Contra Mundum é o mais recente trabalho do colectivo lisboeta.

O primeiro single “Ritual Transdisco” abriu o concerto. A música está disponível para download gratuito no site da banda. “Sonhos Pop”, “Querelle”, “My Funny Anna” e “Good Night” também fizeram parte do espectáculo de pop electrónico.

Mas o Clubbing não se ficou pelas actuações na Sala 2. Cinco bandas que ensaiam no Centro Comercial STOP, no Porto, tiveram a oportunidade de actuar na Sala Suggia e souberam aproveitá-la bem.

De heavy metal a world music, ouviu-se de tudo um pouco na sala onde habitualmente realizam-se concertos da Orquestra Sinfónica do Porto. Houve até espaço para mosh, embora com mais contenção.

@Alice Barcellos

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.