Dois álbuns póstumos de Michael Jackson já foram lançados: "Michael", em 2010, e "Xscape", em 2014. Poucos meses depois da morte do "rei da pop", a editora Sony e os herdeiros do cantor assinaram um acordo de um valor recorde, avaliado na altura em mais de 200 milhões de dólares pelo Wall Street Journal.

Este acordo prevê o lançamento de sete novos álbuns em dez anos, misturando reedições e inéditos. Até ao momento, "não há nada planeado" sobre um possível novo disco póstumo, indicou a Sony à AFP.

O ex-engenheiro de som disse não ter "nem o direito de escrever os nomes dessas canções inéditas, nem de fazê-las ouvir neste momento".

Michael Durham Prince trabalhou com o cantor de 1995 até à sua morte.

"Acredito que haverá mais álbuns, mas por agora estamos a trabalhar na ideia de revelar novas canções a cada seis meses. É trabalhoso. Michael não cantou o refrão em demos, então temos que encontrar alguém para cantar. Serão, inevitavelmente, duetos", afirmou, acrescentando que "é a família, os seus herdeiros, a sua editora que vão decidir".

@AFP

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.