O poeta Manuel Alegre publicou um poema na sua página de Facebook dedicado a Lisboa que, “com praças cheias de ninguém”, “ainda é Lisboa de Pessoa alegre e triste” e “ainda resiste”, em tempos de pandemia de covid-19.

Desde a sua publicação no Facebook, cerca das 16h00 de sexta-feira, até hoje às 12h00, o poema de Alegre foi partilhado por mais de 5.400 pessoas e teve mais 1.600 gostos.

LEIA O POEMA:

A cidade de Lisboa, como o resto do país, vive em estado de emergência desde quinta-feira, que levou a uma redução no número de pessoas nas ruas para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Portugal elevou hoje para 12 o número de mortes associadas ao vírus da covid-19, o dobro face a sexta-feira, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), que regista 1.280 casos confirmados de infeção.

Mais informações sobre o COVID-19.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.