Esta segunda-feira, o Festival de Cannes condenou "vigorosamente" a detenção no Irão da atriz Taraneh Alidoosti, famosa opositora do regime, e pediu a sua libertação imediata.

Alidoosti foi detida "por apoiar o movimento a favor da liberdade no seu país. O Festival de Cannes condena vigorosamente esta detenção e pede a sua libertação imediata", partilhou a conta oficial nas redes sociais.

A atriz, de 38 anos, foi detida no sábado por expressar apoio às manifestações nas redes sociais, retirar o véu e por denunciar a execução de manifestantes.

Taraneh Alidoosti foi presa "por ordem da autoridade judicial" após "não apresentar documentação para algumas das suas afirmações" sobre os protestos, informou a Mizan Online, a agência de informação do poder judicial do país.

A atriz tem grande projeção internacional pelo seu trabalho com o aclamado realizador Asghar Farhadi. A produção "O Vendedor", na qual atuou, foi premiada com o Óscar de Melhor Filme Internacional em 2017. O seu filme mais recente, "Os Irmãos de Leila", foi exibido no Festival de Cannes em maio.

A última mensagem de Alidoosti nas redes sociais foi publicada a 8 de dezembro, o mesmo dia em que Mohsen Shekari, de 23 anos, se tornou a primeira pessoa executada pela sua ligação com os protestos.

Também circularam imagens da atriz fazendo compras em Teerão sem o véu. Alidoosti prometeu que não deixaria o Irão e disse que estava disposta a "pagar qualquer preço para defender" os seus direitos.

Já não é possível aceder à sua conta no Instagram, que tinha mais de oito milhões de seguidores.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.