A escritora foi vítima de um “carcinoma micropapilar invasivo, que se iniciou com um cancro na mama, em 2012”, noticiou o jornal brasileiro Estadão. “Apesar disso, os últimos anos foram de grande atividade, tendo publicado sete livros, desde a trágica notícia da sua doença”, afirma, por seu turno, a Quetzal, no comunicado hoje divulgado.

Em 2015, a escritora ficou em 2.º lugar no Prémio Oceanos, que sucedeu ao antigo Prémio de Literatura Portugal Telecom, com o livro “Por Escrito”. O júri considerou, na ocasião, que a autora apresentou "um grande trabalho de ousadia estilística, além de enfrentar temas difíceis com uma agressividade inédita no género".

“Nada a Dizer” foi publicado pela Quetzal em 2013, e narra a história de um adultério.

Elvira Vigny assinou dez romances, entre os quais “Às seis em ponto”, “Deixei ele lá e vim”, “O que deu para fazer em matéria de história de amor” e “Como se estivéssemos em palimpsesto de putas”, editado no ano passado, e que mereceu o Prémio da Associação Paulista de Críticos de Artes.

Foi também autora de contos e de obras infanto-juvenis, tendo recebido nesta área dois prémios Jabuti, um deles na área da ilustração.

Segundo o Estadão, que cita o seu genro, o escritor Eric Novello, há ainda três livros de Elvira Vigny para serem publicados, um deles em que dialoga ficcionalmente com o romancista Franz Kafka (1883-1924), outro, a republicação do romance “A Um Passo” (2004) e o terceiro, na área infantil.

Segundo o jornal paulista, “os livros de Elvira Vichy não são explicitamente políticos, mas, entre camadas que a escritora construía com habilidade na própria narrativa, existe, implícita, uma maneira muito única de ler as relações interpessoais, necessariamente políticas”.

A família, segundo o jornal brasileiro, por respeito à não religiosidade da autora, não realizará qualquer cerimónia dessa natureza.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.