Esta fantasia sobre o amor e a solidão foi publicada, pela primeira vez, em 1943, durante a II Guerra Mundial, um ano antes de o avião pilotado por Saint-Exupéry ter desaparecido sobre o mar Mediterrâneo.

”O Principezinho” ou “O Pequeno Príncipe” conta a história de um rapaz com cabelos cor de ouro e de um piloto perdido no deserto, e a encenação de Pedro Penim, combina músicas e canções de diversos estilos, personagens virtuais em três dimensões e efeitos visuais de 'video mapping'.

A cenografia transporta o espetador para o mundo fantástico do Principezinho, onde não falta o deserto, as paisagens verdejantes, o asteroide B612, o planeta do rei ou o mundo do geógrafo.

Esta versão portuguesa baseia-se na versão original concebida e dirigida pelo ator e encenador espanhol Àngel Llàcer, que já dirigiu produções como “Sonho de uma noite de verão”, de Shakespeare, e “Madame Melville”, de Ricard Nelson.

O espetáculo tem música do compositor, diretor musical e intérprete catalão Manu Guix, galardoado duas vezes com o Butaca Award, e dramaturgia de Àngel Llàcer e do poeta Marc Artigau.

A versão original esteve em cena em Espanha, em 2016, tendo sido um sucesso de bilheteira, além de muito aplaudida pela crítica.

Em Portugal, “O Principezinho” é interpretado por Mariana Pacheco, Paulo Vintém, um dos fundadores da banda D´ZRT, Joana Brito Silva, José Lobo e Diogo Bach.

A peça vai estar em cena até 29 de abril, com récitas às sextas-feiras, às 18:00, e aos sábados e domingos, às 11:30 e 15:30.

A conceção e direção artística é de Àngel Llacer, a direção musical, de Manu Guix, a dramaturgia, de Ángel Llacer e Marc Artigau, e a direção e versão portuguesa de Pedro Penim.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.