"Gostávamos de não deixar passar em branco os 250 anos do nascimento de Beethoven, em 2020, uma efeméride absolutamente incontornável", declarou Rui Pinheiro, maestro titular da OCS, na conferência de imprensa de apresentação da nova temporada.

Pelo menos dois concertos do ciclo "Lethes Clássico", no Teatro Lethes, em Faro, serão dedicados à obra do compositor alemão, especialmente à sua grande produção para quarteto de cordas, e também para conjuntos de câmara, com instrumentos de sopro.

Ludwig van Beethoven (1770-1827) chegou a escrever algumas canções em português, que poderão ser incluídas pela orquestra nos seus espetáculos.

"Estranhamente, há algum reportório em português escrito pelo próprio Beethoven. Algo que iremos tentar ver se conseguiremos incluir neste ciclo. Deixo a surpresa para o que virá", disse o maestro.

A abertura da temporada será marcada pela comemoração do Dia Mundial da Música, em 01 de outubro, com um concerto no Teatro das Figuras, em Faro, subordinado ao tema "Volta ao Mundo em 80 Compassos"

Obras de referência de ópera e de música vocal/coral, de origem erudita, de Bizet, Puccini, Verdi, Tchaikovsky e Handel, entre outros compositores, estão na base do programa, que conta com um coro de 60 pessoas, um projeto da orquestra iniciado no passado mês de fevereiro.

"É um projeto recente, mas muito desafiante. É um coro que está a dar os primeiros passos - com pessoas que não são profissionais e têm pela frente repertórios difíceis -, mas que terá continuidade ao longo da temporada", declarou Rui Baeta, diretor do coro, que em janeiro acompanhará a orquestra, no palco da Culturgest, em Lisboa.

Para a nova temporada da OCS, entre as principais novidades contam-se dois ciclos de música de câmara, com espetáculos nos concelhos de Silves e Évora, além de concertos sobre grandes compositores vienenses e ingleses e de um baile vienense numa unidade hoteleira de Faro.

Além da continuidade de outros ciclos, de parcerias já antigas e dos habituais concertos de Natal e de Ano Novo, também vai prosseguir o ciclo "Diálogos Musicais", cujo concerto de dezembro será dedicado à obra de um dos mais importantes compositores portugueses, contemporâneo de Beethoven, João Domingos Bomtempo, e contará com a presença da pianista Gabriela Canavilhas.

A Orquestra Clássica do Sul vai também lançar, em 2020, o projeto "Ciclo Pedagógico", que com o objetivo de reforçar a ligação ao público escolar, sem a resumir apenas aos concertos.

"Queremos pensar o que pode ser o papel pedagógico de uma orquestra, com eventos como 'workshops' e ações mais interativas com escolas e miúdos, indo mais além do papel passivo de se sentarem num concerto e de ouvirem uma explicação", sublinhou Rui Pinheiro.

A Orquestra Clássica do Sul, criada em 2002 sob a designação de Orquestra do Algarve, conta com um total de 27 instrumentistas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.