Em praticamente um ano tudo mudou na vida de João Batista Coelho, conhecido no mundo da música por Slow J. Se no verão passado atuou no palco Antena 3 do SBSR (onde se encontra o palco LG este ano), em 2017 deu o salto para o palco secundário, desta vez com "The Art of Slowing Down", álbum aclamado por toda a crítica e na ponta da língua de uma plateia praticamente lotada. Esta sexta-feira, a pala do Pavilhão de Portugal acolheu uma enchente que logo na fase inicial do espetáculo teve direito a "Arte", um dos singles deste muito (justamente) elogiado LP.

Neste processo de maturidade do artista de apenas 24 anos, verificamos como as letras, escritas no seu quarto, tocaram nos corações de milhares de jovens. Na atuação, Slow J comentou que ao logo da digressão reparou que todos os espectadores sabem as letras e os do palco EDP não foram exceção. Há uma comunhão completa entre artista e banda, daquelas a que poucos artistas se podem dar ao luxo.

Neste ano que está a se tornar inesquecível para Slow J, um dos momentos-chave foi materializado no concerto do Parque das Nações, com "Menina Estás à Janela". Nesta versão em que a batida fica mais lenta, ajudada pela banda que acompanha o músico (composta por Fred Pinto Ferreira e Francis Dale), o público colaborou enquanto pequeno grande coro, como poucos vistos durante o festival (até à data, a química apenas foi equiparável ao concerto dos Red Hot Chili Peppers).

Infelizmente, há um momento em que a nódoa cai no melhor pano. "Às vezes", tema que conta com a colaboração de NERVE, que esteve presente em palco, acabou por não correr da melhor forma, sobretudo porque o microfone do músico lisboeta estava avariado. Acabou por sobressair a voz do rapper do outro lado do Tejo.

Numa simbiose musical que junta vários estilos – sendo por isso natural que se consiga adjetivar Slow J como um músico multifacetado – é na senda do jazz, rock e hip hop que "The Art of Slowing Down" se move, com casos peculiares e muito bem-sucedidos como "Serenata" ou "Casa".

Slow J, tal como já tinha feito no ano passado, protagonizou um dos concertos do festival enquanto terá alargado a grande legião de fãs que conquista desde 2015. Além da ótima música, ficou também registada a humildade do artista em todos os momentos do concerto, deixando bem evidente a premissa de uma das suas canções mais aplaudidas, "Vida Boa", na qual garante que não quer uma boa vida,"só quer uma vida boa". Nesta tarde do dia 14 de julho de 2017, assim o conseguiu.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.