A lenda da banda desenhada Stan Lee avançou com um processo judicial - com um pedido de mil milhões de dólares - contra a empresa POW!, da qual ele foi um dos fundadores.

O editor e argumentista alega que a empresa tentou aproveitar-se da sua idade, de acordo com documentos judiciais.

Aos 95 anos, que ajudou a Marvel a tornar-se um império - adquirido pela Disney em 2009 - expressou divergências sobre as condições da assinatura, ano passado, da venda da POW! Entertaiment a um grupo chinês.

Stan Lee, que revolucionou o mundo da BD e a cultura popular ao criar para a Marvel os personagens Homem-Aranha, Hulk, Pantera Negra e o Quarteto Fantástico, afirma que os executivos da POW! não revelaram todos os detalhes da venda, especialmente o facto de que o grupo chinês que comprou a empresa, Camsing International, teria os direitos exclusivos para utilizar o seu nome e a sua imagem.

Lee afirma que sofre de degeneração macular, um problema de vista associado à idade, e que não teve conhecimento de todos os pontos no momento da assinatura dos documentos.

Também denuncia que a POW! "assumiu o controle das suas contas pessoais nas redes sociais, incluindo Facebook, Instagram e Twitter", que têm 15 milhões de seguidores, de acordo com os documentos do processo.

O nome de Stan Lee apareceu recentemente numa questão judicial por outros motivos: foi processado por uma massagista que o acusa de agressão, o que ele nega.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.