Com a morte de Carlos Avilez, na quarta-feira, a coordenação do TEC, "após pesada ponderação, tomou a decisão de suspender as sessões desta semana, com retoma a 30 de novembro", lê-se na informação publicada pela companhia fundada pelo encenador, na página oficial naquela rede social.

"É tempo de refletir e deixar toda a equipa, pessoas envolvidas e todos os amantes de teatro processarem esta perda", acrescenta a mensagem da coordenação do TEC, lamentando "o transtorno causado" pela suspensão do cartaz.

De acordo com a companhia, "Electra" voltará no último dia do mês "com mais força e vontade de orgulhar o legado" que Carlos Avilez deixou.

O encenador Carlos Avilez morreu na quarta-feira, no Hospital de Cascais, aos 88 anos.

Carlos Vitor Machado, conhecido por Carlos Avilez, nasceu em 1935 e estreou-se profissionalmente como ator em 1956, na Companhia Amélia Rey Colaço - Robles Monteiro, onde permaneceu até 1963.

Dois anos depois, em 1965, fundou o Teatro Experimental de Cascais, que dirigiu desde então.

Com uma vida dedicada ao teatro, estreou no sábado passado a sua última encenação, “Electra”, a partir da trilogia “Electra e os fantasmas”, do escritor norte-americano Eugene O'Neill.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.