“The Fall of Gondolin” é o título do novo livro de Tolkien, sobre um herói que defende uma bela e misteriosa cidade destruída por forças obscuras, a que o autor de “O Senhor dos Anéis” chamou “a primeira história real” da Terra-Média, e que chegará às livrarias em agosto de 2018, noticia o jornal The Guardian.

“The Fall of Gondolin” será o segundo “novo” trabalho de Tolkien a ser publicado no espaço de dois anos, após o lançamento de “Beren and Lúthien”, em maio de 2017.

Editado pelo filho de Tolkien, Christopher Tolkien, e ilustrado pelo artista de “O Hobbit” e de “O Senhor dos Anéis”, Alan Lee, o anúncio foi recebido com surpresa, mesmo entre os estudiosos de Tolkien: Christopher Tolkien, agora com 93 anos, escrevera num prefácio que “Beren and Lúthien” era “(presumivelmente)” o seu último livro na longa série de edições de escritos do pai.

"Esse prefácio tinha certas características de despedida – relembrava o seu primeiro encontro com o trabalho do pai”, disse John Garth, autor de “Tolkien and the Great War”. “Mas aqui está”.

Segundo Garth, a história foi escrita por Tolkien quando esteve internado no hospital, após a Batalha do Somme, em 1916.

“É uma história de missão com um herói relutante que se transforma em um herói genuíno - é um modelo para tudo o que Tolkien escreveu depois”, afirmou, especificando: “Tem um senhor das trevas, o nosso primeiro encontro com orcs e balrogs - é mesmo Tolkien a preparar-se para o que faria mais tarde”.

De acordo com a editora, a HarperCollins, o livro coloca o maléfico Morgoth contra o deus do mar Ulmo. Morgoth tenta descobrir e destruir a cidade escondida de Gondolin, enquanto Ulmo apoia os Noldor, parentes dos elfos que vivem na cidade.

A história segue um dos Noldor, Tuor, que sai em busca de Gondolin; durante sua viagem, experimenta o que o editor descreveu como “um dos momentos mais impressionantes da história da Terra Média”: quando Ulmo, o deus do mar, salta para fora do oceano durante uma tempestade.

Quando Tuor chega em Gondolin, torna-se um grande homem e o pai de Eärendel, uma personagem importante em “O Silmarillion”, de Tolkien.

Mas Morgoth ataca, com Balrogs, dragões e orcs, e, enquanto a cidade cai, Tuor, a sua mulher, Idril, e a criança Eärendel escapam, “olhando para trás, a partir de uma fenda nas montanhas, enquanto eles fogem para o sul, nos destroços em chamas da sua cidade”.

"Eles andavam a pesquisar para uma nova história, o 'Conto de Eärendel', que Tolkien nunca escreveu, mas que foi esboçado neste livro”, disse a HarperCollins.

Garth afirmou que “The Fall of Gondolin” contém a “maior narrativa de batalha de Tolkien fora de ‘O Senhor dos Anéis’”, mas anteviu que a “pedra angular” do livro seria a parte em que Tolkien tentou contar a história toda novamente, no estilo romanesco de “O Senhor dos Anéis”.

“Na primeira versão [versão final] da história, parece que se está a ler ‘A Ilíada’. Este [que está inacabado] é mais natural”, disse.

De acordo com a HarperCollins, Tolkien viu “The Fall of Gondolin” como uma das suas três "grandes histórias" de tempos antigos, com “Beren and Lúthien” e “Os Filhos de Húrin”.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.