“Empenhado e solidário, [Zé Pedro] marcou a sua vida pela partilha dos valores da paz e da liberdade”, lê-se no comunicado hoje divulgado.

O guitarrista Zé Pedro "foi uma presença de sempre na Festa do Avante!, desde o início do seu percurso, escrevendo muitas das páginas da sua história, e dando mais força à luta pela promoção e valorização da música e da cultura portuguesa”, lê-se no mesmo documento.

No comunicado, a direção da festa do Avante! manifesta “o seu sentido pesar pelo falecimento de Zé Pedro” e “apresenta as sentidas condolências a toda a sua família e aos músicos e companheiros que fizeram dos Xutos & Pontapés um nome maior da música nacional”.

O guitarrista dos Xutos & Pontapés, Zé Pedro, morreu hoje, em Lisboa, aos 61 anos.

Zé Pedro estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, tendo só sido assumida publicamente em novembro, a propósito do concerto de fim de digressão dos Xutos & Pontapés, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

José Pedro Amaro dos Santos Reis nasceu em Lisboa, em 14 de setembro de 1956, numa família de sete irmãos, “com um pai militar, não autoritário, e uma mãe militante-dos-valores-familiares”, como recordou num dos capítulos da biografia “Não sou o único” (2007), escrita pela irmã, Helena Reis.

No final na década de 1970, Zé Pedro, com Zé Leonel e Paulo Borges, decidiu criar uma banda, batizada Delirium Tremens. Passou depois a chamar-se Xutos & Pontapés, com a entrada de Kalú e de Tim para o lugar de Paulo Borges.

O primeiro concerto realizou-se há 38 anos, em 13 de janeiro de 1979, na Sociedade Filarmómica Alunos de Apolo, em Lisboa.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.