Depois do julgamento de O.J. Simpson e do homicídio de Gianni Versace, "American Crime Story" vai centrar-se no escândalo sexual de Bill Clinton na terceira temporada, que levou o antigo Presidente dos EUA a ser deposto.

Esta sexta-feira, o canal norte-americano FX confirmou o nome de um dos papéis mais aguardados: precisamente o de Clinton, que será encarnado por Clive Owen.

O ator britânico junta-se assim a Beanie Feldstein ("Lady Bird", "Booksmart: Inteligentes e Rebeldes") no papel de Monica Lewinski, estagiária da Casa Branca em 1998, ano da polémica em torno do seu envolvimento sexual com Clinton; a Sarah Paulson (presença habitual nas produções de Ryan Murphy, criador da série) como Linda Tripp, confidente da estagiária; e a Annaleigh Ashford ("Masters of Sex"), na pele de Paula Jones. A atriz que interpretará Hillary Clinton ainda não foi anunciada.

A produção, que conta com a colaboração de Monica Lewinsky, arranca em fevereiro de 2020. A estreia está marcada para 27 de setembro de 2020, no FX, nos EUA. O argumento é de Sarah Burgess, que adapta o livro "A Vast Conspiracy: The Real Story of the Sex Scandal That Nearly Brought Down a President", de Jeffrey Toobin.

"Esta série reexamina algumas das histórias mais complicadas e polarizadoras da história recente de uma forma que é relevante, com nuances e entretenimento. ‘Impeachment: American Crime Story’ também explorará as dimensões negligenciadas das mulheres que se viram envolvidas no escândalo e na guerra política que lançaram uma longa sombra sobre a presidência de Clinton", avançou John Landgraf, presidente do FX.

A primeira temporada de "American Crime Story" venceu nove Emmys e a segunda conquistou sete. A série estreou em Portugal na FOX Life e as duas primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.