A NOS lamentou que a MEO tenha suspendido unilateralmente o acesso dos clientes daquela operadora ao Porto Canal, numa decisão que a NOS considerou “inédita” e “irrazoável”.

A suspensão do acesso da NOS ao sinal do Porto Canal concretiza-se às 00:00 do dia 11 de fevereiro e deve-se, segundo a MEO, à falta de acordo com a NOS relativamente à comercialização dos direitos de transmissão do Canal Benfica TV e dos jogos do Benfica que pertencem à NOS a partir de julho de 2016.

A MEO, detida pela Portugal Telecom, adianta, num comunicado, que permitiu à NOS a distribuição do Porto Canal (cujos direitos de comercialização detém desde 01 de janeiro de 2016), suportando os respetivos encargos, durante a negociação em curso, apesar da NOS não ter apresentado contrapropostas concretas sobre os termos de comercialização dos canais Benfica TV e Sporting TV, bem como os direitos de transmissão dos jogos do Benfica.

“Mesmo não existindo um acordo com a NOS, a MEO optou por permitir a continuação da distribuição do sinal do Porto Canal por aquele operador, tendo em conta os superiores interesses dos consumidores”, salienta a operadora da PT, argumentando que só tomou a decisão de suspender o acesso ao Porto Canal por não ter existido “evolução na posição assumida desde início pela NOS”.

A NOS, por outro lado, considera que “a postura negocial da MEO” confirmou os seus piores receios “e comprovou inequivocamente que a estratégia da NOS no mercado dos direitos e conteúdos desportivos foi indispensável e acertada para acautelar os interesses dos seus clientes”.

A NOS acrescenta, num comunicado, que “apesar de todos os esforços negociais” que desenvolveu nas últimas semanas, “a MEO revelou-se irrazoável e inflexível, não tendo nunca apresentado qualquer proposta específica para a distribuição deste canal”.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.