O regresso de Will Smith e Martin Lawrence como os detetives Mike Lowrey e Marcus Burnett conquistou o primeiro lugar nas bilheteiras dos EUA.

Vinte e cinco anos após o primeiro filme e 17 desde o segundo, "Bad Boys Para Sempre" deverá arrecadar 68 milhões de dólares nos primeiros quatro dias de exibição.

Será a segunda melhor estreia no tradicional fim de semana prolongado em que assinala o nascimento de Martin Luther King Jr., apenas atrás dos 107 milhões de "Sniper Americano".

Há uma semana, os analistas independentes previam uma abertura de 40 milhões e o próprio estúdio avançada com 38 milhões antes de atualizar para os 50 na quinta-feira, após as enchentes das primeiras sessões.

Com um orçamento de 90 milhões, o filme também arrecadou 38.6 milhões no mercado internacional e com o arranque mundial ficou nos 106,7 milhões.

Não surpreende que a Sony só tenha esperado pelas primeiras 12 horas de "Bad Boys Para Sempre" nos cinemas para anunciar planos para outra sequela: é a primera saga antiga que o estúdio consegue relançar após os fracassos recentes de "Homens de Negro" e "Os Anjos de Charlie".

Entre as razões apontadas para as expectativas iniciais terem sido ultrapassadas em mais de 70% estão  a escolha de um fim de semana certeiro, a química entre Will Smith e Martin Lawrence e a atenção recebida pelas reações positivas dos críticos e primeiros espectadores, com elogios à maturidade da história e a nova energia trazida pelos realizadores belgas Adil El Arbi e Bilall Fallah.

Em segundo lugar nas bilheteiras ficou outra saga a tentar ter nova vida no século XXI: "As Aventuras do Dr. Dolittle".

A reinvenção do clássico sobre o veterinário que consegue falar com os animais deverá arrecadar 30 milhões de dólares nos primeiros quatro dias e um total mundial de 57,3 milhões.

O valor é sólido para um filme para toda a família e confirma o estatuto de Robert Downey Jr. após deixar o Universo Cinematográfico Marvel, mas os analistas antecipam perdas astronómicas para o estúdio Universal Pictures se não for um grande sucesso fora nos EUA: tudo por causa de um orçamento que, após refilmagens, disparou para os 180 milhões de dólares, sem contar com as despesas de marketing e distribuição.

Em terceiro lugar, ficou o vencedor de dois Globos de Ouro e favorito aos Óscares "1917", de Sam Mendes, que está a ter grande sucesso junto do público mais adulto: no segundo fim de semana de exibição, em que também arrecadou o prémio de Melhor Filme do Sindicato dos Produtores americanos, deverá somar 27 milhões.

O total global do nomeado para 10 estatuetas douradas vai nos 143,5 milhões e não inclui Portugal: a estreia é esta semana.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.