A lista de nomeados para a 96.ª edição dos Óscares foi conhecida esta terça-feira, ao início da tarde em Portugal continental, e reservaram algumas surpresas.

Veja aqui a lista completa de nomeados aos Óscares
Veja aqui a lista completa de nomeados aos Óscares
Ver artigo

Os atores Zazie Beetz ("Atlanta", "Joker") e Jack Quaid ("The Boys", saga "Gritos", “Oppenheimer”) deram a conhecer os eleitos para a maior noite de Hollywood as 23 categorias em direto da sala de cinema Samuel Goldwyn Theater da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, na presença da imprensa e publicistas ligados aos estúdios e atores.

Nos primeiros minutos ficou a saber-se que o filme português "Um Caroço de Abacate", de Ary Zara, com Gaya de Medeiros e Ivo Canelas, não conseguiu entrar na corrida para Melhor Curta-Metragem em Imagem Real e repetir o feito histórico com a nomeação de "Ice Merchants" para Curta-Metragem de Animação no ano passado.

Também de fora ficou a curta "Estranha Forma de Vida", de Pedro Almodóvar, onde participa o ator português José Condessa.

A presença portuguesa nas nomeações ficou por "Homem-Aranha: Através do Aranhaverso" para Melhor Longa-Metragem de Animação, que tem Joaquim Dos Santos entre os realizadores.

"Oppenheimer" lidera a corrida da Academia com quase onze mil votantes e é o grande favorito à vitória final após juntar exatamente as 13 nomeações que se esperavam: Melhor Filme, Realização (Christopher Nolan), Ator (Cillian Murphy), Ator Secundário (Robert Downey Jr), Atriz Secundária (Emily Blunt) e Argumento Adaptado estão acompanhadas de muitas categorias técnicas.

"Oppenheimer"

Já a manhã em Los Angeles foi agridoce para o estúdio e a equipa de "Barbie", a outra metade do fenómeno "Barbenheimer": uma das oito nomeações é a de America Ferrera para Melhor Atriz Secundária  e ainda surge em categorias como Melhor Filme, Ator Secundário (Ryan Gosling), Argumento Adaptado, e as canções "What Was I Made For?", de Billie Eilish e Finneas, e "I'm Just Ken", mas quando já parecia embalado para confirmar ser um forte concorrente frente a "Oppenheimer", falhou duas categorias importantes.

Foram as duas maiores surpresas do evento: Margot Robbie ficou de fora da categoria de Melhor Atriz e Greta Gerwig também não foi anunciada para Melhor Realização. A primeira fica pela presença enquanto produtora do Melhor Filme e a segunda pelo Melhor Argumento Adaptado.

BARBIE (20 de julho nos cinemas, disponível na HBO Max)
"barbie"

Afinal, o segundo filme mais nomeado (e uma maior "ameaça" à vitória de "Oppenheimer") acaba por ser "Pobres Criaturas", de Yorgos Lanthimos, com participação portuguesa que inclui um fado de Carminho: concorre a 11 categorias, incluindo Melhor Filme, Realização, Atriz (Emma Stone), Ator Secundário (Mark Ruffalo) e Argumento Adaptado.

Com dez nomeações fica "Assassinos da Lua das Flores", de Martin Scorsese. incluindo Melhor Filme, Realização, Atriz (Lily Gladstone) e Ator Secundário (Robert DeNiro), mas sem Leonardo DiCaprio para Melhor Ator e, talvez mais problemático para concorrer com "Oppenheimer", fora da corrida para Argumento Adaptado.

"Pobres Criaturas" e "Assassinos da Lua das Flores"

A seguir ao quarteto não houve surpresas entre os nomeados para Melhor Filme: com sete nomeações (menos uma do que "Barbie") ficou "Maestro", mas Bradley Cooper falhou a corrida de Melhor Realização, ficando por Melhor Ator, Argumento Original e produtor.

Com cinco nomeações ficaram "American Fiction", de Cord Jefferson; o francês "Anatomia de uma Queda", de Justine Triet; "Os Excluídos", de Alexander Payne; e "A Zona de Interesse", de Jonathan Glazer, o último dos quais também presente na categoria de Melhor Filme Internacional.

Melhor Filme e Argumento Original foram as nomeações de "Vidas Passadas", de Celine Song.

Bradley Cooper e Carey Mulligan em "Maestro"

Entre os que não conseguiram chegar a Melhor Filme estão o musical"A Cor Púrpura", de Blitz Bazawule, "Origin", de Ava DuVernay, "Saltburn", de Emerald Fennell, "Air", de Ben Affleck, e "All of Us Strangers", de Andrew Haigh.

Pela primeira vez na história dos Óscares, três dos nomeados são realizados por mulheres: “Barbie”, por Greta Gerwig, “Vidas Passadas”, por Celine Song, e “Anatomia de Uma Queda”, por Justine Triet, também nomeada na categoria de Melhor Realização.

Também pela primeira vez, há três nomeados a Melhor Filme que não são maioritariamente falados em inglês: o francês “Anatomia de Uma Queda” reparte diálogos em francês, inglês e alemão; o britânico “A Zona de Interesse” é falado em alemão, polaco e iídiche; e o norte-americano “Vidas Passadas” tem boa parte dos diálogos em coreano.

A comédia é um género tradicionalmente desprezado pelas estatuetas douradas, mas quatro entram na corrida: “American Fiction”, "Barbie", "Os Excluídos" e "Pobres Criaturas".

Entre os estúdios, a Netflix liderou com 18 nomeações, mais cinco do que as recebidas por produções da Universal e da Apple, embora a Walt Disney tenha recebido 20 quando se juntam as várias marcas (Pixar, Marvel, 20th Century Studios, Searchlight, Lucasfilm, Disney+, Hulu e National Geographic).

Com transmissão confirmada hoje pela RTP, a 96.ª cerimónia está marcada para a casa "tradicional", o Dolby Theatre, a 10 de março (o mesmo dia das eleições legislativas portuguesas), com Jimmy Kimmel a regressar pela quarta vez como anfitrião, após 2017 (o ano da famosa confusão de envelopes para Melhor Filme entre "La La Land" e "Moonlight"), 2018 e 2023.

Muita representatividade entre atores e realizadores

Martin Scorsese, Lily Gladstone e Leonardo DiCaprio

Nas habituais contas de representatividade que se tornaram norma nas análises, destaca-se a presença de vários atores afro-americanos e a de Lily Gladstone como a primeira indígena nomeada para um Óscar de um povo originário do território que agora é os EUA.

Trata-se de uma distinção necessária porque já houve nomeações para atores indígenas no passado: Keisha Castle-Hughes ("A Domadora de Baleias"), Yalitza Aparicio ("Roma") e Graham Greene ("Danças com Lobos").

Entre os 20 nomeados nas quatro categorias de interpretação, dez fazem a estreia, mas entre os repetentes destacam-se dois veteranos: Robert DeNiro e Jodie Foster, ambos já com duas estatuetas e a coincidir na corrida 47 anos depois de "Taxi Driver" (e também o realizador Martin Scorsese).

Já uma das estreantes é Sandra Hüller, apenas a terceira atriz alemã na corrida a um Óscar em 96 anos, depois da vencedora de duas estatuetas Luise Rainer (1936 e 1937) e a nomeada Marlene Dietrich (1931).

"Anatomia de uma Queda"

Na categoria de Melhor Ator, os cinco nomeados são Bradley Cooper (“Maestro”), Colman Domingo (“Rustin”), Paul Giamatti (“Os Excluídos”),Cillian Murphy (“Oppenheimer”) e Jeffrey Wright (“American Fiction”).

Além de Leonardo DiCaprio, as principais exclusões são as de Barry Keoghan ("Saltburn") e Andrew Scott ("All of Us Strangers").

Com Margot Robbie surpreendentemente de fora, Annette Bening ("Nyad") conseguiu mesmo a nomeação na categoria de Melhor Atriz, juntando-se às mais esperadas Lily Gladstone ("Assassinos da..."), Sandra Hüller (“Anatomia de uma Queda”), Carey Mulligan (“Maestro”) e Emma Stone ("Pobres Criaturas").

Também sem nomeação ficaram Fantasia Barrino ("A Cor Púrpura"), Aunjanue Ellis-Taylor ("Origin"), Greta Lee (“Vidas Passadas”), Natalie Portman ("May December") e Cailee Spaeny ("Priscilla").

Confirmando a concorrência brutal, a seleção final para Melhor Ator Secundário junta Sterling K. Brown (“American Fiction”), Robert DeNiro ("Assassinos da..."), Robert Downey Jr. (“Oppenheimer”), Ryan Gosling (“Barbie”) e Mark Ruffalo ("Pobres Criaturas").

Sem nomeação ficaram Willem Dafoe ("Pobres Criaturas"), Charles Melton (“May December”) e Dominic Sessa ("Os Excluídos").

As nomeadas para Melhor Atriz Secundária são Emily Blunt (“Oppenheimer”), Danielle Brooks ("A Cor Púrpura"), America Ferrera (“Barbie”), Jodie Foster (“Nyad”) e Da’Vine Joy Randolph (“Os Excluídos”).

De fora ficaram Penélope Cruz ("Ferrari"), Sandra Hüller ("A Zona de Interesse"), Julianne Moore (“May December”) e Rosamund Pike ("Saltburn").

Melhor Realização: Greta Gerwig sai, Justine Triet entra

Melhor Realização tem uma cineasta na corrida, a oitava em 96 anos, mas não é Greta Gerwig: foi a francesa Justine Triet ("Anatomia de uma Queda") a nomeada numa categoria onde o núcleo de votantes internacionais é cada vez mais influente dentro da Academia e responsável por várias inclusões surpreendentes nos últimos anos.

´Por exemplo, a do britânico Jonathan Glazer ("A Zona de Interesse"), que se juntou ao compatriota Christopher Nolan (“Oppenheimer”) e ao grego Yorgos Lanthimos ("Pobres Criaturas"), ficando Martin Scorsese ("Assassinos da Lua das Flores") como o único norte-americano na categoria.

Além de ser o único que já foi premiado no grupo (por "The Departed" em 2006), Scorsese chegou às dez nomeações e, aos 81 anos, ultrapassa Steven Spielberg como o realizador vivo mais nomeado (o recorde absoluto pertence às 12 vezes de William Wyler).

Além de Greta Gerwig, não se confirmaram as apostas em Alexander Payne ("Os Excluídos"), Bradley Cooper ("Maestro") e Celine Song ("Vidas Passadas").

"A Zona de Interesse"

Dos 15 finalistas para Melhor Filme Internacional existiam nove que eram vistos como os mais prováveis, mas os cinco nomeados acabaram por ser inesperados: "Dias Perfeitos", de Wim Wenders (Japão) juntou-se aos europeus "Eu, Capitão", de Matteo Garrone (Itália), "A Sala de Professores", de  Ilker Çatak (Alemanha), "A Sociedade da Neve", de Juan Antonio Bayona (Espanha) e "A Zona de Interesse", de Jonathan Glazer (Grã-Bretanha).

Sem nomeação ficaram "Folhas Caídas", de Aki Kaurismäki (Finlândia), "O Sabor da Vida", de Tran Anh Hung (França), "Tótem", de Lila Avilés (México) e "20 Days in Mariupol", de Mstyslav Chernov (Ucrânia), mas com este último a surgir na categoria de Melhor Documentário, tal como "Quatro Filhas", de Kaouther Ben Hania (Tunísia).

"Homem-Aranha: Através do Aranhaverso"

Nos filmes de animação, além das já esperadas nomeações de “Homem-Aranha: Através do Aranhaverso”, do japonês “O Rapaz e a Garça” do veterano Hayao Miyazaki, e do mais recente filme da Pixar, “Elemental”, surgiram ainda “Nimona”, de produção conturbada mas finalizado pela Netflix e grande favorito na corrida aos Annies, e a muito elogiada trágico-comédia espanhola “Robot Dreams”.

De fora, ficou “Wish: O Poder dos Desejos”, a mais recente produção animada da Disney, que no ano do seu centenário não conseguiu sequer levar a concurso a celebratória “Era Uma Vez um Estúdio”, também excluída na categoria de Melhor Curta-Metragem de Animação.

Nas eventuais omissões destacam-se ainda "A Fuga das Galinhas: Estamos Fritas", "Super Mario Bros. - O Filme", "Suzume" e "Tartarugas Ninja: Caos Mutante".

Ramo dos documentários volta a surpreender e o mais veterano dos nomeados

John Williams

Os membros da Academia que podem votar para Melhor Documentário costumam deixar de fora filmes populares que as previsões apontavam como prováveis vencedores da categoria.

Este ano, a tradição tocou aos favoritos “American Symphony” e “Still: A Michael J. Fox Movie”, com as escolhas a serem para títulos fora dos EUA: "Bobi Wine: The People’s President", "The Eternal Memory", "To Kill a Tiger" e dois filmes que falharam a corrida para Melhor Filme Internacional, "Quatro Filhas" (Tunísia) e "20 Days in Mariupol" (Ucrânia).

Já nas canções, onde as regras da Academia apenas permitem duas por filme, a que ficou de fora por "Barbie" foi Dua Lipa com "Dance the Night", abrindo caminho para "What Was I Made For?”, de Billie Eilish com Finneas, e a hipótese de ver Ryan Gosling no palco a interpreter  "I’m Just Ken".

As nomeações para Melhor Canção também deixaram pelo caminho Lenny Kravitz, Olivia Rodrigo ou Halle Bailey, surgindo na corrida "The Fire Inside", do filme "Flamin' Hot", que é a 15.ª nomeação da recordista Diane Warren, "It Never Went Away", de "American Symphony", da autoria de Jon Batiste, e, na maior surpresa, "Wahzhazhe (A Song For My People)", de "Assassinos da Lua das Flores".

O grupo de compositores na corrida para Melhor Banda Sonora Original junta Laura Karpman por "American Fiction", Ludwig Göransson por "Oppenheimer", o falecido Robbie Robertson por "Assassinos da Lua das Flores" e Jerskin Fendrix por "Pobres Criaturas".

A categoria inclui ainda o mais veterano de toda a lista: aos 91 anos e à 54.ª nomeação, John Williams quebra um duplo recorde e tal como fez o ano passado, volta a ser o nomeado mais idoso de sempre e o de artista vivo mais nomeado aos Óscares, agora por “Indiana a Jones e o Marcador do Destino”.

Consulte aqui a lista completa de nomeados (veja os trailers dos filmes e saiba quais pode ver no cinema e em streaming clicando em cada filme).

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.