Raúl Ruiz morreu a 19 de agosto aos 70 anos, deixando como último filme
«Mistérios de Lisboa», uma adaptação do romance homónimo de Camilo Castelo Branco.

O Círculo de Críticos de Nova Iorque atribuiu-lhe postumamente o prémio especial de carreira, numa cerimónia que decorreu ontem à noite e onde o produtor português Paulo Branco recebeu a distinção em nome de Ruiz.

«O Artista» foi eleito o melhor filme de 2011 e
Michel Hazanavicius foi premiado pela realização desta longa-metragem a preto e branco sobre uma estrela do cinema mudo que se depara com o advento dos filmes sonoros.

Brad Pitt foi duplamente premiado como melhor ator pelos papéis em
«Árvore da Vida», de
Terrence Malick, e
«Moneyball», de
Bennett Miller.

Meryl Streep foi eleita melhor atriz por ter interpretado a antiga primeira-ministra do Reino Unido, Margaret Tatcher, em
«The Iron Lady», de
Phyllida Lloyd.

Para aquela associação de críticos, a atriz norte-americana
Jessica Chastain mereceu o prémio de melhor atriz secundária pela participação nos filmes
«Árvore da Vida»,
«As Serviçais» e
«Take Shelter».
Albert Brooks foi o melhor ator secundário por
«Drive».

«Cave of Forgotten Dreams», de
Werner Herzog, recebeu o prémio de melhor documentário e
«A Separation», de
Asghar Farhadi, o melhor filme estrangeiro.

Com o final do ano a aproximar-se as associações de críticos, atores, realizadores e produtores dos Estados Unidos estão a escolher as melhores produções e interpretações de 2011, acabando por fazer alguma «pressão» até aos Óscares, em 2012.

SAPO com Lusa

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.