As atrizes Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monae levaram para casa o prémio de "desempenho excecional de elenco num filme" por "Elementos Secretos", atribuído pelo Sindicato de Atores Norte-Americanos (Screen Actors Guild ou SAG), um equivalente ao Óscar de Melhor Filme atribuído pela instituição ao conjunto da representação. Foi uma das grandes surpresas desta 23ª cerimónia de entrega dos troféus, dominada pelo inesperado e que volta a colocar um grande ponto de interrogação numa cerimónia dos Óscares em que tudo já parecia mais ou menos decidido, em função da soma de galardões anteriores da temporada.

"Elementos Secretos", do realizador Theodore Melfi, que conta a história de mulheres matemáticas afro-americanas cujos cálculos ajudaram a NASA a colocar os primeiros homens no espaço, arrebatou o troféu aos favoritos "Moonlight" e "Manchester by the Sea" ("La La Land - Melodia de Amor" não estava nesta corrida, eventualmente por se considerar que é mais um filme a dois que de elenco).

“Esta é uma história sobre união”, disse a atriz Taraji P. Henson sobre "Elementos Secretos". “Esta história é sobre o que acontece quando colocamos as nossas diferenças de parte e nos unimos como raça humana. Nós ganhamos. O amor ganha. Sempre", acrescentou. O filme chega esta quinta-feira aos cinemas portugueses.

O domínio dos afro-americanos

Denzel Washington

Outra das grandes surpresas da noite chegou na categoria de Melhor Ator em que, ao contrário de todas as outras cerimónias de prémios da temporada, não foi Casey Affleck a ganhar por "Manchester by the Sea" mas sim Denzel Washington por "Vedações", o que pode significar que o polémica em redor das queixas de assédio sexual em que o primeiro se viu envolvido há alguns anos e que se reacenderam face aos galardões que tem recebido podem estar agora a fazer estragos.

O comparativo de vencedores do prémio do SAG para Melhor Ator com os Óscares na mesma categoria é muito próximo: só quatro vezes os prémios não coincidiram, a última delas há 13 anos, quando Johnny Depp venceu pelo primeiro filme da saga "Piratas das Caraíbas" e Sean Penn acabou por levar para casa a estatueta dourada por "Mystic River".

Foi efetivamente uma noite de triunfo para os afro-americanos: além do Melhor Elenco e Melhor Ator, também Mahershala Ali venceu o troféu de Melhor Ator Secundário por "Moonlight" e Viola Davis o de Melhor Atriz Secundária por "Vedações".

A quebrar a unanimidade só a categoria de Melhor Atriz, onde não havia atrizes negras nomeadas, em que Emma Stone saiu vencedora por "La La Land - Melodia de Amor". Mesmo aqui, a categoria aos Óscares continua em aberto, uma vez que Isabelle Huppert, uma das favoritas à vitória final na cerimónia das estatuetas douradas, não estava aqui na corrida.

As surpresas também chegam à televisão

O elenco de Stranger Things

Nas categorias de televisão, a surpresa também foi a nota dominante, desde logo no vencedor para Melhor Elenco em Série Dramática, que não foi para os habituais "Downton Abbey" ou "Guerra dos Tronos" ou para os mais visíveis "The Crown" ou "Westworld", mas sim para "Stranger Things", um dos sucessos mais inesperados da temporada.

William H. Macy revelou-se tão ou mais surpreendido que a audiência ao arrebatar o troféu de Melhor Ator em Série de Comédia por "Shameless" ao favorito Jeffrey Tambor, por "Transparent", e mesmo Bryan Cranston teve uma vitória inesperada como Melhor Ator em Telefilme ou Mini-Série por "All the Way", uma categoria que tem sido dominada por Courtney B. Vance em "The People v. O. J. Simpson: American Crime Story".

Mais esperadas foram as vitórias de Sarah Paulson como Melhor Atriz em Telefilme ou Mini-Série por "The People v. O. J. Simpson: American Crime Story", Claire Foy e John Lithgow como Melhor Ator e Atriz em Série Dramática por "The Crown", e Julia Louis-Dreyfuss como Melhor Atriz em Série de Comédia por "Veep", categoria ganha nos dois últimos anos por Uzo Aduba em "Orange is the New Black", que ainda assim foi galardoada como Melhor Série de Comédia.

Unidos contra Trump

Ashton Kutcher

Como era previsível, o atual presidente dos EUA Donald Trump e a sua política de limitação da imigração foi severamente criticada, e em praticamente todos os discursos. Ashton Kutcher, que abriu a cerimónia, deu as boas vindas não só aos espetadores como também a "todos aqueles que estão nos aeroportos que pertencem à América. Vocês fazem parte da matéria de que nós somos feitos. E nós amamos-vos e damos-vos as boas vindas.” A partir daí, praticamente todos os discursos tiveram, de forma mais direta ou mais velada, mensagens políticas.

David Harbour, que interpreta o chefe da polícia Jim Hopper de "Stranger Things", fez uma das intervenções mais fervorosamente aplaudidas da noite: "vamos acolher os freaks e os marginais - aqueles que não têm esperança. Vamos ultrapassar as mentiras, vamos caçar os monstros. E quando estivermos perdidos entre a hipocrisia e a violência de certos indivíduos e certas instituições, vamos, tal como fez o Jim Hopper, esmurrar as pessoas que tentam destruir os fracos e os desenraizados e os marginalizados".

Julia Louis-Dreyfuss também aproveitou o palco para recordar que o seu pai "fugiu das perseguições religiosas na França ocupada pelos nazis. Eu sou uma americana patriota. E eu amo este país, e porque eu amo este país, fico horrorizada com os seus defeitos, e esta proibição da imigração é um defeito e é anti-americana".

 Lista completa de vencedores da 23ª edição anual dos Prémios do Sindicato de Atores – Screen Actors Guild Awards (SAG):

Filmes:

Melhor Ator: Denzel Washington, "Vedações"

Melhor Atriz: Emma Stone, "La La Land - Melodia de Amor"

Melhor Ator Secundário: Mahershala Ali, "Moonlight"

Melhor Atriz Secundária: Viola Davis, "Vedações"

Melhor Elenco: "Elementos Secretos"

Melhor Elenco de duplos: "Hacksaw Ridge"

Televisão:

Melhor Ator em Série de Comédia: William H. Macy, "Shameless"

Melhor Atriz em Série de Comédia: Julia Louis-Dreyfus, "Veep"

Melhor Elenco em Série de Comédia: "Orange is the New Black"

Melhor Ator em Telefilme ou Minissérie: Bryan Cranston, "All the Way"

Melhor Atriz em Telefilme ou Minissérie: Sarah Paulson, "The People V. O.J. Simpson: American Crime Story"

Melhor Elenco em Série de Drama: "Stranger Things"

Melhor Ator em Série de Drama: John Lithgow, "The Crown"

Melhor Atriz em Série de Drama: Claire Foy, "The Crown"

Melhor Elenco de duplos: "A Guerra dos Tronos"

VEJA AS ESTRELAS NA PASSADEIRA VERMELHA DOS SAG AWARDS:

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.