O nomeado para os Óscares pelo seu papel  em "Juno" declarou-se transgénero, apresentando-se esta terça-feira (1) como Elliot Page nas redes sociais, nas quais disse estar feliz por partilhar a notícia, mas também temeroso por uma possível reação violenta.

O ator, anteriormente conhecido como Ellen Page, agradeceu aos que apoiam a comunidade transgénero por ajudá-lo na sua jornada para "finalmente amar quem eu sou o suficiente para procurar o meu eu autêntico".

"Amo ser transgénero. E amo ser queer", escreveu o canadiano Page, que recentemente entrou na série de super-heróis da Netflix “The Umbrella Academy”.

Pouco depois do anúncio, as páginas no popular IMDB e na Wikipedia foram alteradas para o novo nome, bem como os créditos disponíveis na Netflix.

As suas declarações receberam ainda imediatamente mensagens de apoio e elogio na indústria do entretenimento e além.

A Aliança Gay & Lésbica Contra a Difamação (GLAAD) referiu-se a Page como "extraordinário" e "um defensor declarado de todas as pessoas LGBTQ".

"Agora ele será uma inspiração para inúmeras pessoas transgénero e não binárias", disse o diretor de media transgénero do grupo, Nick Adams: "Todas as pessoas trans merecem a oportunidade de ser nós mesmas e de serem aceites pelo que somos."

A Netflix também partilhou nas redes sociais: "Tão orgulhosa de nosso super-herói! Amamos-te, Elliot!"

Juno (2007)

Elliot Page, de 33 anos, tornou-se uma sensação em Hollywood em 2007 com o papel da adolescente grávida em "Juno", de Jason Reitman.

Como intérprete, também apareceu na comédia de 2009 "Sobre Rodas", no "thriller" de ficção científica "A Origem" (2010), com Leonardo DiCaprio, e na comédia de Woody Allen "Para Roma com Amor" (2011).

Page declarou-se lésbica em 2014 e rapidamente tornou-se uma referência para a comunidade LGBTQ de Hollywood.

Em 2018, casou-se com a bailarina Emma Portner. Ausente das principais produções de Hollywood desde "X-Men: Dias de um Futuro Esquecido", de 2014, Page tem ignorado as tentativas da indústria de classificá-lo ou marginalizá-lo.

Agora, ele junta-se a um pequeno grupo de figuras transgénero proeminentes de Hollywood, incluindo as argumentistas e realizadoras da trilogia "Matrix", Lana e Lilly Wachowski, o criador de "Transparent" Joey Soloway e a atriz Laverne Cox, mais conhecida pelo seu papel na série "Orange is The New Black".

"A verdade é que, apesar de me sentir profundamente feliz neste momento ... Tenho medo da invasão, do ódio, das 'piadas' e da violência", escreveu na publicação em que fez o anúncio.

Page também criticou políticos que "criminalizam a atenção médica aos transgéneros e negam o nosso direito de existir", assim como figuras influentes que usam "uma plataforma massiva e continuam a espalhar hostilidade contra a comunidade transgénero".

"Vocês têm sangue nas mãos. Libertam uma fúria vil e degradante de raiva que cai sobre os ombros da comunidade transgénero", acrescentou Page, referindo-se às altas taxas de tentativas de suicídio entre a comunidade.

(*) Notícia atualizada com reações às 11h00.

LEIA TODA A DECLARAÇÃO.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.