O Festival Colcoa de cinema francês chega este mês a Hollywood com um tributo às melhores criadoras audiovisuais do país, na onda dos movimentos contra os abusos sexuais e a desigualdade de género na indústria.

A 22ª edição oferece um recorde de 86 filmes, programas de televisão, séries digitais e experiências de realidade virtual, muitos nunca antes vistos nos EUA, e será palco de algumas estreias internacionais.

É a primeira edição deste evento anual desde que foi revelado o escândalo sexual em Hollywood com o produtor Harvey Weinstein e outros pesos pesados da indústria, que deu lugar aos movimentos #MeToo e Times's Up.

E o programa do festival reflete uma celebração do trabalho da mulher.

"Temos orgulho de dedicar a programação do Colcoa deste ano às mulheres, tanto pelo seu papel na realização dos filmes e séries como pelos seus papéis centrais na maioria das histórias selecionadas este ano", disse o produtor executivo do festival, François Truffart.

O Colcoa entrega prémios do público, de melhor documentário, melhor filme para TV, da crítica e especial da crítica.

O festival começa a 23 de abril com a estreia da longa-metragem "La promesse de l'aube", de Eric Barbier, uma celebração da maternidade protagonizada por Pierre Niney e Charlotte Gainsbourg.

Termina uma semana depois com a estreia norte-americana de "La prière", de Cedric Kahn, um estudo de um santuário religioso para toxicodependentes em recuperação.

Mulher e homem em realidade virtual

Entre os filmes que se destacam na programação do festival está também "Custódia Partilhada", do nomeado aos Óscares Oscar Xavier Legrand, um "thriller" sobre um abusador violento que força o seu regresso à vida da ex-mulher e que venceu os prémios de melhor realização e melhor primeiro filme no Festival de Veneza.

Mais da metade da seleção de curtas foi produzida por mulheres e vários painéis abordarão o papel da mulher na indústria do cinema e debaterão sobre os primeiros filmes dirigidos por realizadoras.

Também haverá uma sessão dedicada à realidade virtual, com a experiência "Uturn", que examina as diferenças entre os géneros vistas a partir dos pontos de vista de um homem e de uma mulher.

A experiência foi criada por Nathalie Mathe, uma cientista da NASA que se tornou cineasta e especialista em realidade virtual e trabalhou em "Persépolis", "O Cavaleiro das Trevas Renasce", "007: Skyfall", "Capitão Phillips" e "Velocidade Furiosa 6".

"Durante mais de 50 anos disseram a nós, mulheres, como devemos adaptar-nos e aprender a sobreviver para ter sucesso em indústrias dominadas por homens, como as de tecnologia e média", indicou num comunicado, destacando que embora algumas mulheres tenham chegado ao topo, a grande maioria ainda é subvalorizada.

O festival também se concentrará na carreira da cineasta e atriz Melanie Laurent ("Sacanas Sem Lei"), com uma projeção de seu primeiro filme, "Les Adoptés", e painéis de discussão.

Haverá sessões dedicadas também a documentários e televisão.

O Festival Colcoa foi crescendo tanto no repertório de filmes como em popularidade, recebendo cerca de 25 mil pessoas por ano, o que, segundo os seus organizadores, o transforma no maior festival dedicado ao cinema francês.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.