O mais recente filme do realizador transalpino Giuseppe Tornatore encerra hoje a parcela de Lisboa da sexta edição da Festa do Cinema Italiano, às 21h30, no Cinema São Jorge. O autor de «Cinema Paraíso» coloca uma controversa questão em «La Migliore Offerta»: onde reside o limite ente o autêntico e o falso?

A película, protagonizada pelo também oscarizado Geoffrey Rush, conta a história de Virgili Oldman, um famoso leiloeiro e grande colecionador de arte, misantropo, misógino e rico, obcecado com mulheres que só pode possuir em retratos. Assistido pelo velho amigo Billy, consegue formar uma enorme coleção de retratos femininos que guarda num quarto secreto. Nunca teve uma mulher ao seu lado e toda a sua paixão está direcionada à arte, até receber o telefonema de Claire, jovem e esquiva herdeira de um interessante património familiar.

No início da sessão de encerramento será atribuído o Prémio Oficial Rottapharm Madaus e o Prémio do Público, o primeiro atribuído ao melhor filme em Competição. O realizador Bruno de Almeida, o programador cultural e diretor artístico Giacomo Scalisi, o ator Marcello Urgeghe e o crítico de cinema João Lopes são o júri do certame e vão eleger o vencedor entre os sete novos filmes de autores italianos. O Prémio do Público é decidido pelos espectadores do evento através de votação direta.

A festa de encerramento começa às 0h00 no Teatro do Bairro com o concerto dos Calibro 35, um projeto que revisita bandas sonoras dos filmes policiais dos anos 60 e 70, tendo como ponto de partida a eletrificante fusão entre o funk, jazz, rock, groove.

Já a seguir, a Festa prossegue noutras zonas do país: em Abril, o festival viaja até Coimbra (entre os dias 2 e 5), Porto (4 a 7), Funchal (11 a 14) e Loulé (19 a 21). Em Junho, a Festa acontece em Luanda de 6 a 9.