É o primeiro grande sinal da resposta de Hollywood ao Coronavírus: os produtores da saga James Bond anunciaram o adiamento da data de estreia de "007: Sem Tempo Para Morrer".

O 25º filme e despedida de Daniel Craig como agente secreto passou de 10 de abril para 25 de novembro.

"Após uma análise cuidadosa e uma avaliação completa do mercado teatral global, a MGM, Universal e os produtores de Bond, Michael G. Wilson e Barbara Broccoli, anunciaram hoje que o lançamento de 'Sem Tempo Para Morrer' será adiado para novembro de 2020", divulgou a saga nas redes sociais.

"O filme será lançado na Grã-Bretanha a 12 de novembro de 2020, seguindo-se as datas de estreia global, incluindo a americana a 25 de novembro de 2020", esclarece-se.

A nova data coloca a saga na temporada em que foram lançados quase todos os filmes desde "007: Goldeneye" em 1995.

A imprensa especializada norte-americana acrescenta que se trata de uma decisão "puramente económica" e não uma preocupação com a segurança das salas de cinema fora das zonas em que vários países colocaram restrições por razões de saúde pública.

Além de ser a despedida de Daniel Craig como agente secreto, depois de "Casino Royale" (2006), "Quantum of Solace" (2008), "Skyfall" (2012) e "Spectre" (2015), o novo filme representa um dos maiores investimentos económicos de Hollywood para 2020, que precisa do mercado global no seu máximo potencial para ser um gigantesco sucesso de bilheteira.

Neste momento, o coronavírus levou ao encerramento de todas as salas de cinema na China, o segundo maior mercado do mundo, e metade em Itália. Também há quebras gigantescas de afluência de espectadores na Coreia do Sul e o mesmo começa a notar-se no Japão.

James Bond: fãs pedem adiamento da estreia do novo filme por causa do coronavírus
James Bond: fãs pedem adiamento da estreia do novo filme por causa do coronavírus
Ver artigo

No caso dos EUA, os analistas acreditam que não se trata de uma situação de "se acontecer", mas "quando".

Na segunda-feira, o maior e mais importante blogue de fãs da saga 007, que apelara em carta-aberta ao adiamento, também expressara a preocupação de que manter a data de 10 de abril iria prejudicar as receitas e colocar em risco os fãs, recordando que os países mais afetados contribuíram para 38% das receitas globais do filme anterior, "007: Spectre" (2015).

Estima-se que os prejuízos globais só para o cinema desta crise podem chegar aos cinco mil milhões de dólares.

De forma não oficial, consta que, além de "007: Sem Tempo Para Morrer", outros filmes cuja situação está a ser analisada "dia a dia" são "Mulan", "Viúva Negra", "Velocidade Furiosa 9" e "Mulher-Maravilha 1984".

VEJA O TRAILER "007: SEM TEMPO PARA MORRER".

Nos últimos dias têm sido cancelados ou adiados vários eventos culturais por causa do Covid-19.

A Bienal de Arquitetura de Veneza (Itália), prevista para começar em maio, foi adiada para agosto.

Foram canceladas as feiras do livro de Londres e de Leipzig (Alemanha) e o Salão do Livro de Paris.

A Feira do Livro Infantil de Bolonha, também em Itália, foi adiada para maio.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.200 mortos e infetou mais de 93 mil pessoas em 78 países, incluindo cinco em Portugal.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.