A televisão está a fazer do cinema um "género vintage", declarou esta quarta-feira (16) John Travolta no Festival de Cannes, lamentando que os filmes não sejam "tão desejados" como antes.

O ator, de 64 anos, apresentou em Cannes o seu último filme, "Gotti", sobre o chefe da máfia nova-iorquina John Gotti, no qual também participam a sua esposa, Kelly Preston, e sua filha Ella.

A produção é dirigida por Kevin Connolly.

A estrela de "Febre de Sábado à Noite" (1977), "Brilhantina" (1978) e "Pulp Fiction" (1994), que viajou com a família até Cannes, também ganhou protagonismo durante a visita pela sua dança durante uma festa, na terça-feira, com o rapper 50 Cent, cujo vídeo circulou nas redes sociais.

Durante uma conversa ainda na quarta-feira, Travolta, que interpretou o advogado de O.J. Simpson na minissérie "American Crime Story" em 2016, disse que a televisão sacudiu Hollywood.

"Para quem, como nós, assentou nos dramas do cinema não é nada bom, porque esse tipo de filme já não é tão desejado como antes", explicou.

"Tentamos manter-nos numa espécie de género vintage no grande ecrã", continuou.

"Já não existem as regras de antigamente que estabeleciam que se alguém representava na televisão não devia fazer cinema, e se estava no teatro", tampouco.

Travolta é muito ligado a Cannes, onde "Pulp Fiction" levou a Palma de Ouro em 1994, selando o seu retorno pós-"Brilhantina".

Após esse filme, "pude escolher as produções que queria. O sucesso de 'Pulp Fiction' permitiu-me escolher durante 24 anos", assegurou.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.