Apesar das atenções estarem viradas para a estreia de "Tenet", o novo "blockbuster" de Christopher Nolan, há um outro filme bastante caro a chegar ao mesmo tempo aos cinemas.

Trata-se de "Os Novos Mutantes",  um "spin-off" da saga "X-Men" que custou 100 milhões de dólares a Disney "herdou" quando comprou o estúdio 20th Century Fox com nomes como Maisie Williams, Anya Taylor-Joy, Charlie Heaton e Alice Braga.

Não é de surpreender que a chegada de "Os Novos Mutantes" aos cinemas esteja a passar despercebida: ao contrário do que se tem visto com "Tenet", a famosa máquina de marketing da Disney pouco se viu.

Exibir filmes aos críticos com antecedência também é uma etapa normal, mas o estúdio não organizou visionamentos de imprensa ou deu acesso a ligações digitais para ver o filme em casa (o mesmo aconteceu em Portugal, onde também não houve antestreias).

Não é invulgar isso acontecer quando os estúdios não têm fá na qualidade do filme e acreditam que vão receber más críticas, como pode ser o caso de "Os Novos Mutantes", que teve vários dramas de bastidores à volta de qual devia ser o rumo da história: rodado no verão de 2017, teve várias datas de estreia anunciadas desde 2018.

"Os Novos Mutantes" está pronto há dois anos: Disney obrigada a lançar filme "amaldiçoado" nos cinemas
"Os Novos Mutantes" está pronto há dois anos: Disney obrigada a lançar filme "amaldiçoado" nos cinemas
Ver artigo

Nestas situações, a opção normal é comprar o bilhete para uma sessão pública, mas várias publicações e sites especializadas como The Boston Globe, IndieWire, The A.V. Club, The Boston Globe e RogerEbert.com anunciaram que não vão fazer críticas a acompanhar a estreia nos EUA esta sexta-feira (28).

O The Hollywood Reporter publicou a sua reação negativa ao filme já na quarta-feira (26).

Num ensaio, o crítico A.A. Dowd (A.V. Club) defende que não estão reunidas as condições ideais de segurança, escudando-se em declarações de especialistas científicos de que os cinemas permanecem um dos lugares  de maior risco porque a pandemia está longe de estar sob controlo nos EUA.

Com a maioria dos cinemas a permitir que os espectadores não usem máscara quando estiverem a comer ou beber, A.A. Dowd diz que não vai pedir a nenhum membro da sua equipa para arriscar a saúde por causa da crítica a qualquer filme, o que foi apoiado por outros colegas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.