A longa-metragem é a escolha de Portugal para se candidatar a uma nomeação para o Óscar de melhor filme estrangeiro.

Este ano a escolha foi feita por um júri da Academia Portuguesa de Cinema, tendo em conta todas as longas-metragens portuguesas estreadas em sala comercial desde outubro do ano passado.

Os Óscares são atribuídos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos e a 85ª edição decorrerá a 24 de fevereiro de 2013. As nomeações para todas as categorias serão anunciadas a 15 de janeiro.

O júri que escolheu
"Sangue do meu sangue" integrou o produtor Paulo Trancoso (presidente da Academia Portuguesa de Cinema), a atriz Suzana Borges, o ator Virgílio Castelo, o realizador José Carlos Oliveira, o produtor Luís Galvão Teles e o crítico de cinema Lauro António.

"Sangue do meu sangue" foi filme português mais visto nas salas de cinema em Portugal em 2011, com 20.953 espetadores, segundo dados do Instituto do Cinema e Audiovisual, e soma vários prémios internacionais.

Entre eles contam-se o Grande Prémio do Júri em Miami (EUA), o Prémio da Crítica Internacional em San Sebastian e o Prémio do Público no "D’A" - Festival Internacional de Cinema D’Autor de Barcelona, ambos em Espanha.

Por conta deste filme, a obra cinematográfica de
João Canijo esteve em destaque no estrangeiro, incluindo uma retrospetiva integral no Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires, na Argentina.

Produzido por Pedro Borges, o filme conta no elenco com Rita Blanco,
Anabela Moreira,
Cleia Almeida,
Rafael Morais,
Marcello Urgeghe,
Nuno Lopes,
Beatriz Batarda, entre outros.

Para o filme, João Canijo fez um trabalho de atores muitas semanas antes da rodagem, de construção das personagens e que ficou registado no documentário "Trabalho de Atriz, Trabalho de Ator".

Na altura desse processo, João Canijo explicou à Lusa que o ponto de partida de "Sangue do meu sangue" seria “o amor incondicional numa família, o verdadeiro amor que não precisa de justificações”.

Em "Sangue do meu sangue", João Canijo entrou num bairro social em Lisboa para filmar o ambiente de uma "família tipicamente suburbana", com Márcia (Rita Blanco), cozinheira e mãe solteira de dois filhos.

"A vida é uma luta constante pela sobrevivência e quando há uma pausa nessa luta a existência torna-se quase insustentável. Nas classes com rendimentos mais baixos, não há tempo para elaborar reflexões sobre a existência e os sentimentos e as reações aos acontecimentos emocionais são mais imediatos, mais primários", defendeu.

João Canijo, 54 anos, é autor de filmes que têm sempre uma marca da realidade social portuguesa, como
"Ganhar a Vida",
"Mal Nascida",
"Noite Escura" e o documentário
"Fantasia Lusitana".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.