"Rich Men North of Richmond", título da canção country de Oliver Anthony, um ruivo de barba, tece críticas às elites da maior potência mundial e lembra a dura vida da classe trabalhadora.

Desde que foi lançada a 11 de agosto no YouTube, a canção foi reproduzida em streaming mais de 17,5 milhões de vezes e descarregada 147.000 vezes em menos de uma semana, tornando-se a número um da lista Hot 100, elaborada pela Billboard, superando artistas consagrados como Taylor Swift, Morgan Wallen e Olivia Rodrigo.

Considerado um "hino político dos operários" por alguns meios de comunicação, a canção denuncia os "obesos, que sugam o dinheiro do Estado", enquanto há pessoas na rua "que não têm nada para comer".

Ouça a canção:

Tendo como único cenário uma vegetação exuberante, Anthony usa um microfone e uma viola para criticar as políticas económicas liberais dos anos 1980, que deixaram a regulação nas mãos do mercado, ou o aumento dos suicídios entre os jovens americanos.

"Rich Men North of Richmond" também aborda as diferenças entre os conservadores do sul e centro dos Estados Unidos e as cidades progressistas do leste e do oeste do país.

A direita e a extrema-direita, lideradas por comentadores ultraconservadores como Laura Ingraham e Matt Walsh, apropriaram-se da canção, segundo o The New York Times.

A congressista republicana pela Geórgia, Marjorie Taylor Greene, próxima de Donald Trump e defensora de teorias conspiratórias, considerou a canção um "hino dos americanos esquecidos pelo nosso governo", escreveu na rede social X, antigo Twitter.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.