Pelo público circulava um balão amarelo, mas nesta noite não se ouviu nem “Balloons” nem “Cassius” - esta última para tristeza de muitos fãs. Um concerto com plateia cheia e sala composta, que fez justiça à curta estreia dos Foals no Optimus Alive, em 2011, e que fez brilhar o terceiro e mais recente álbum da banda, lançado ainda este ano.

*

Nove da noite. Uma multidão ainda lá fora, apesar dos conterrâneos Everything Everything já estarem em palco para a sua terceira atuação em solo nacional, depois de terem marcado presença também no Alive de 2011 e ainda, em agosto deste ano, no Vodafone Paredes de Coura. Não são caras (nem músicas) desconhecidas para alguns dos elementos do público, que dançam e cantam temas como “Schoolin’” ou “Kemosabe”, entretidos. Mas é com a entrada de um tambor em palco e com o início de “Cough Cough” que o Coliseu ganha vida. “Don’t Try” serviu de despedida, acompanhada de palmas, a marcarem o ritmo.

Foi “Prelude”, primeira faixa de "Holy Fire", que serviu de - lá está - prelúdio a um concerto, no qual foi apresentado o novo disco e passados em revista alguns dos temas de "Total Life Forever" e "Antidotes", segundo e primeiro álbum do grupo, respetivamente. Foi uma recepção calorosa a que tiveram os membros da banda de Oxford, que foram entrando em cena, quase um a um, acompanhados pelas palmas e euforia dos que, do lado de cá, esperavam por eles.

Deste novo registo, que puxa os Foals para sonoridades rock, ainda que dançáveis, pôde ouvir-se “Providence”, “Late Night” - um tema mais sombrio, que fez levantar os isqueiros e acender os telemóveis - e “Milk & Black Spiders”. E, claro, “My Number”, faixa ouvida inúmeras vezes na rádio e minutos antes do concerto, e cuja letra esteve na ponta da língua de todos. “Inhaler”, primeiro single do álbum, apenas chegou pela altura do encore, entre saltos, gritos e algum crowdsurfing, feito por dois ou três mais aventureiros.

“Spanish Sahara” e “Red Socks Pugie” fizeram os momentos altos do concerto. A primeira pelo coro afinado de vozes em uníssono, que, por momentos, soou apenas acompanhado da guitarra e voz de Yannis Philippakis; a segunda por ter marcado o regresso ao álbum de estreia dos Foals e por ter sido, também, o momento em que, após várias ameaças, Philippakis decidiu percorrer a plateia de um lado ao outro do Coliseu.

Também de "Antidotes", “Two Steps Twice” foi a segunda música do encore e a última do concerto, que, numa versão alargada, teve direito a uma bola de espelhos que refletia a luz sobre os elementos da plateia. Na despedida, um obrigado relâmpago e uma promessa de um regresso em breve.

SetlistEverything Everything

1. Radiant
2. My KZ UR BF
3. Schoolin’
4. Kemosabe
5. Photoshop Handsome
6. Cough Cough
7. Don’t Try

Setlist Foals

1. Prelude
2. Total Life Forever
3. Olympic Airways
4. My Number
5. Blue Blood
6. Providence
7. Late Night
8. Milk & Black Spiders
9. Spanish Sahara
10. Red Socks Pugie

Encore
11. Inhaler
12. Two Steps Twice

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.