O disco – “um projeto amadurecido, de rock poderoso e letras incisivas, obviamente em português, que arrebata pela narrativa e pela força” – reúne 12 temas e foi produzido por Marco Nunes, ex Blind Zero, também conhecido pelos seus trabalhos com Comité Caviar.

Acompanham Guilherme Abreu nesta aventura musical Pedro Reis (guitarras), Manuel Reis (baixo) e Marco Beat (bateria).

Confere o alinhamento de “Ás vezes Somos de Mais”:

01. Às vezes somos de mais
02. Deixa-me acreditar
03. Ao fundo
04. Aquele lugar é nosso
05. Num labirinto
06. Dá o melhor de ti
07. É tão bonito amar
08. Aquilo que deus nos deu
09. Não, não foi em vão
10. Chama da verdade
11. O calor da voz
12. Onde tenho de ir

Sobre Guilherme Abreu

Guilherme Abreu parte dum percurso invulgar. Trata-se de um compositor, autor e intérprete que extravasa para o universo mais pragmático do Rock as suas vivências enquanto homem atento às realidades, músico em busca de perguntas e psicólogo de renome que é. O Homem por detrás das músicas e das palavras não é um principiante: num trajecto de procura pessoal e tendo como suporte instrumental a guitarra acústica, foi, ao longo de mais de uma década, experimentando acordes e encontrando-se com melodias e soluções que paulatinamente transformou em canções. Soube esperar. E e o seu primeiro disco, que agora vê a luz do dia, é o fruto conseguido dessa espera.

Sara Novais

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.