Em comunicado, a entidade refere que esta decisão decorre "de um pedido da BBC para aumentar o fornecimento" de conteúdos para crianças através do site Newsround, bem como disponibilizar "mais conteúdos na BBC iPlayer".

"Os nossos estudos mostram que as crianças estão cada vez mais a consumir conteúdos online, enquanto assistem cada vez menos televisão tradicional. [...]. Esta evidência mostra que estas tendências continuaram durante a pandemia de COVID-19", refere o Ofcom.

"Dadas estas mudanças nos hábitos de media das crianças, mantemos que faz sentido a BBC fornecer mais conteúdos online para crianças", acrescenta, apontando que isto "deverá ajudar a BBC a envolver-se mais com audiências mais jovens, que são críticas para o seu sucesso futuro".

Por isso, "aceitámos as alterações pedidas pela BBC para a sua licença de operação, mas também impomos salvaguardas adicionais", prossegue o Ofcom.

"Tal irá ajudar a garantir que a BBC mantém a qualidade dos seus canais lineares para crianças - CBBC e Cbeebies - e que o impacto dos seus planos online são cuidadosamente monitorizados", acrescenta.

"Caso no futuro tenhamos alguma preocupação sobre o desempenho da BBC" no fornecimento de conteúdos para crianças, "tomaremos as medidas apropriadas, que podem incluir a imposição de requisitos prescritivos na licença de operação da BBC", conclui o regulador.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.