Brigitte Bardot pediu "aos que que amam os animais" que não votem no candidato centrista à presidência da França, Emmanuel Macron, acusando-o de ser a favor dos caçadores e da pecuária.

A antiga estrela de cinema, uma conhecida defensora dos direitos dos animais, disse em comunicado no Twitter, significativamente intitulado "Se Macron passa, os animais morrem", que "o projeto do Sr. Macron sobre os animais é mortal e escandaloso".

"Convido aqueles que amam e respeitam os animais a não votar em Macron", diz a mesma nota.

Emmanuel Macron "está com os fazendeiros e caçadores, e contra as associações de defesa dos animais, que lutam com dificuldades contra os lobbies que parece ter todos os poderes sobre este candidato", disse Bardot, de 82 anos.

"O desprezo demonstrado perante o sofrimento dos animais resume a sua total falta de empatia", acrescenta sobre o jovem pró-europeu de 39 anos que poderia se tornar em 7 de maio o presidente mais jovem da história da França.

Bardot ganhou fama mundial em 1956 com o filme "E Deus Criou a Mulher", realizado pelo seu então marido Roger Vadim. Entre os seus filmes mais célebres destacam-se "O Desprezo" (1963), de Jean-Luc Godard, e "Viva Maria!" (1965), de Louis Malle.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.