Numa edição dedicada ao “Tempo e o Medo”, Hugo Mamede e Henrique Costa Santos criaram para o Folio um programa assente na cultura contracorrente para demonstrar que “a coragem, a determinação, a irreverência consciente e o espírito combativo” são o meio para “resgatar e afirmar uma sociedade mais humanista e com futuro”, disse Costa Santos à agência Lusa.

Convictos de que se vive "um momento histórico complexo em que o medo está sempre presente no imaginário: medo do diferente, medo do ‘outro’, medo do futuro”, os mentores do programa “Cavalo de Troia” apostam numa programação que levará ao Folio “autores e projetos que têm em comum a coragem, que é a única resposta ao medo”.

Na prática, serão três dias (11, 12 e 13 de outubro) de iniciativas que visam, segundo Henrique Costa Santos e Hugo Mamede, “unir em comunidade autores, pensadores e agentes culturais com obra original e heterogénea”, dando novos palcos “à produção artística independente aliada a uma crítica cultural esclarecida”.

O programa decorrerá na Casa José Saramago, no Museu Municipal de Óbidos e na Tenda dos Editores.

O primeiro dia desenvolve-se sob o tema “Liberdade para Pensar”, celebrando, segundo os organizadores, “os autores, agentes culturais e toda uma geração de criadores que ousam o pensamento divergente e a crítica como instrumentos de heterodoxia cultural”.

Um espírito “sempre independente e, por vezes, marcadamente antipoder, que suscita resistências entre os defensores de um cânone do gosto”, o que para os mentores do programa “comprova a utilidade [do ‘Cavalo de Troia’] na defesa de espaços de pensamento mais pluralistas”.

O dia 12 será dedicado à “Escrita de Causas: Representatividade das Margens”, abordando a literatura como meio “de ação política” e de dar “visibilidade a realidades sub-representadas”, colocando em discussão causas atuais como, sublinha Henrique Costa Santos, “a igualdade de género, visibilidade da doença mental, discursos de negritude, integração social pela arte”.

“A Literatura e o Riso” fecham o programa, num dia dedicado ao humor como forma de pensamento crítico.

“É esta boa inteligência que queremos desvendar num dia dedicado ao riso, assumindo igualmente o debate de como podemos desenvolver uma perspetiva humorística em obras literárias”, vincou Henrique Costa Santos.

A programação do “Cavalo de Troia”, assente sobretudo em estruturas culturais independentes, incluirá concertos intimistas, mesas-redondas, ‘podcasts’ ao vivo e performances de leitura.

Entre os participantes, destaque para o rapper Nerve, apontado por Henrique Costa Santos como “um dos grandes representantes da nova geração”, a par com o editor Vasco Santos (ex-Fenda, atual VS Editora), a jornalista Aline Flor, a poeta Gisela Casimiro, o escritor Nelson Nunes, entre mais de uma dezena de autores, editores e artistas convidados.

O programa insere-se no capítulo da Folia, dinamizado pela Fundação INATEL, um dos parceiros de programação do Folio.

Organizado em cinco capítulos (Folia, Folio Autores, Folio Educa, Folio Ilustra e Folio Paralelo) a 5.ª edição do festival decorrerá em Óbidos entre os dias 10 e 20 de outubro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.